Procurador descarta suspensão de Edson Sousa da CPI dos Áudios

 

Ricardo Welbert 

Após o jornalista Geraldo Passos pedir a suspensão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Áudios ou a suspensão do vereador Edson Sousa (MDB) das investigações, o procurador legislativo Bruno Gontijo falou sobre o assunto.

Em vídeo no qual aparece ao lado de Edson Sousa, o advogado afirma que não há impedimento legal da participação dele. (Assista ao vídeo no Portal Agora)

— Existe um requerimento que foi protocolado, formalmente pronto para ser respondido. Nessa resposta consta que o vereador Edson Sousa é o primeiro que fez o pedido da CPI e é o que, regimentalmente, precisa integrar a comissão. O regimento interno da Casa não traz situações em que um dos membros possa ser excluído — diz Bruno. 

Parcialidade 

No pedido feito por meio de sua defesa, Geraldo Passos alega que os frequentes desentendimentos públicos entre ele e o vereador (ambos acumulam processos judiciais entre si), as análises das informações estão sendo afetadas pela opinião pessoal de Edson Sousa sobre Geraldo. O editor do blog "Divinews" teme ser prejudicado pelo vereador no procedimento.

O procurador legislativo ressalta que a CPI é um procedimento inquisitorial.

— Algumas questões de imparcialidade têm que ser vistas de uma forma mais relativizada. É importante que se compreenda essas ponderações, para que não haja julgamento errado em relação aos pontos que estão sendo levantados — frisa.

Procurado pelo Agora, Geraldo Passos repete que o teor e tom das perguntas feitas por Edson Sousa durante a oitiva mostram a perseguição pessoal da qual afirma ser alvo. Edson nega. 

 

 

Comentários
×