Prioridade

Preto no Branco

Prioridade 

Os quase cinco mil divinopolitanos que tiveram a segunda dose da Coranavac adiada por falta do imunizante começam a semana esperançosos. Eles, certamente, ficaram temerosos ao serem informados pela Prefeitura que não tomariam a vacina na última semana e não havia prazo para a remarcação. Para se ter uma ideia, apenas 330 doses vieram para a cidade no período de segunda a sexta-feira passadas. Porém, uma nova remessa com 100.200 doses da chegou a Belo Horizonte na manhã do último sábado e parte desse montante deve ser destinada a Divinópolis. E o melhor: o Governo de Minas já disse que o 18º lote será destinado à aplicação exatamente da segunda dose no grupo de prioridade que aguarda há uma semana a reposição do imunizante. Ótima notícia, que vem acompanhada da expectativa do aumento da vacinação, mas infelizmente, as doses liberadas para a cidade, ainda não são suficientes para atender a todo público que aguarda. Chega a soar estranho. Toda vez que chega vacina para Divinópolis, é este “gato pingado” que não rende. 

Avanço 

E não é só a chegada da Coronavac que anima os mineiros. As doses, que começaram a ser distribuídas ontem, por meio de logística adotada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), são apenas parte de imunizantes que avançam em Minas Gerais. A chegada de milhares de doses de vacina da AstraZeneca e também da Pfizer, nos últimos dias, vai permitir que o Estado avance ainda mais na imunização dos grupos prioritários. O total de vacinas contra a covid-19 em Minas já soma 8.030.340 de doses. Que venham mais para acelerar o extermínio desse vírus mortal que, há mais de um ano, tira a paz, o sono e agora a alimentação de tanta gente. 

Longe 

O que não pode se confundir de jeito nenhum é o avanço da vacinação com o relaxamento. Até porque o número de mortes caiu, assim como a contaminação, mas está longe de acabar. Para refrescar a memória, são mais de 420 mil mortes pela doença no país, e a quantidade diária insiste em não baixar de 2 mil. Exemplo que pode ser tirado de Divinópolis, onde os registros diários caíram, mas não cessaram. Assim, o distanciamento social, o uso do álcool em gel e da máscara, mais do que nunca, precisam ser mantidos. As pessoas seguem descuidadas e com descrédito em relação ao vírus, o que foi percebido no comércio nas compras para o Dia das Mães. Não pelo lado dos lojistas, estava tudo “bonitinho”, bem organizado. Porém, nas ruas, o povo “nadou de braçada” na aglomeração, máscara no queixo e muitos sem.  Lamentável. Prejudicam eles, quem segue as regras e os próprios comerciantes. Lamentável!

Egoísmo

Infelizmente, não há outra forma de avaliar quem desrespeita normas e assim vai prejudicar o outro, prevalecendo o egocentrismo. Mas, há muito, o amor ao próximo deixou de ser algo importante para boa parte da população mundial. Racismo, discriminação, homofobia, que resultam na insistência de não aceitar o outro como ele é, são exemplos claros disso. No entanto, há situações dificilíssimas de se entender, como a morte de um cidadão negro americano de forma covarde um policial branco e a morte do menino Henry de apenas quatro anos no Rio de Janeiro por espancamento recorrente do próprio padrasto. Situações que se repetem em diversos países, a todo minuto, a toda hora, a todo dia. A pergunta que sempre vem à cabeça de pessoas consideradas “normais” é: o que leva estas pessoas a tais atitudes? Doença, mau-caratismo, maldade? Sim, é possível. Porém, pelo menos no Brasil, outra causa leva os criminosos a cometerem atos tão arbitrários: a certeza da impunidade. 

Marmita 

Por aqui, a notícia do assassinato de um divinopolitano no fim de semana no Tocantins retrata bem esta realidade de covardia “por nada”. O caminhoneiro, de apenas 37 anos, foi golpeado várias vezes com facadas, apenas por reclamar de uma marmita. Uma tragédia sem motivos que ocorre um ano depois de outra envolvendo a mesma família. O assassinado é sobrinho do Celinho do açougue, barbaramente morto no bairro Belvedere no ano passado. Como se não bastasse o drama pelo qual todos passam causado por este vírus letal, há aqueles que insistem em piorar ainda mais. 

 

Comentários
×