Preto no Branco (17/09)

Não tá fácil
Realmente para ninguém e em todos os sentidos figurados: para a população, que paga caro para assistir e espetáculos na política; para as matas, devastadas a cada dia pelo fogo; para tolerar um calor insuportável e a baixa umidade do ar; torcer para Atlético e Cruzeiro, com times horrorosos e apresentações pífias. Enfim, está cada dia mais difícil ser divinopolitano, mineiro e brasileiro.


Com caroço
Trata-se se do ditado popular: “Tem caroço neste angu”. As cabeças das pessoas ligadas ao vice-prefeito, Rinaldo Valério (DC), já rolaram. Um assessor, o secretário de Esportes, Everton Dutra, que é seu cunhado, e da secretária que cuidava de sua agenda. O motivo seria uma possível traição de Rinaldo, na noite que antecedeu a votação das denúncias contra o prefeito, Galileu Machado. Porém, o vice nega veementemente que tenha cometido algo semelhante, no entanto, ao mesmo tempo, não vem a público explicar os meandros do fato. Que houve algo, não restam dúvidas, mas o quê?


Seria armação
Nos bastidores, comenta-se que Rinaldo foi ingênuo ou lhe faltou traquejo político, ao aceitar o convite de terceiros, usando de certa promessa de 11 votos contra Galileu, o que o levou à casa do líder do prefeito na Câmara, Eduardo Print. Jr. Entretanto seria inviável pensar em uma situação desta, sabedor de que o prefeito tem a maioria na Casa ao seu favor. A quantidade de votos que recebeu provou isso. Teria havido participação de assessores de vereador? Rinaldo caiu mesmo nesta balela? Claro que principalmente tratando-se de política, nada fica escondido a vida toda, porém, quem poderá desvendar este mistério é somente o vice-prefeito. E ele mesmo sabe que, enquanto a verdade não aparece, fica valendo o que sai da imaginação dos oportunistas linguarudos.


Quem sabe
Enquanto boa parte dos vereadores que representa a população divinopolitana brinca de legislar, quem sabe não surgem novos interessados no cargo, que realmente estejam interessados em defender e atender o povo? É o que mais se precisa nesta hora. E a esperança pode vir de dois projetos interessantes em andamento. O Câmara Jovem, idealizado por Matheus Costa (CDN), e o "Vereador da Melhor Idade", que tem à frente Janete Aparecida (PSD). Nunca se sabe, vai que uns deles se interessa pela coisa e resolve fazer diferente? Enquanto há vida, sem dúvida, há esperança.


Acima de 60
A abertura da 1ª edição do "Vereador da Melhor Idade", que simula uma jornada parlamentar com idosos participantes dos programas desenvolvidos pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e Centro Municipal de Convivência dos Idosos, foi realizada ontem. Participaram os alunos inscritos no programa, o diretor da Escola do Legislativo, Roberto Franklin, e a vereadora Janete Aparecida. A proposta visa ao fomento do convívio social e troca de experiência entre os idosos que representam os vereadores. Eles vão apresentar projetos, matérias e sugestões para solucionar importantes questões na cidade.  É por aí. Quanto aos jovens, que farão o mesmo papel, terão um longo caminho ainda a percorrer e, principalmente, para estudar e pensar como promover as mudanças necessárias.


Fenômenos paranormais
O padre Geraldo José Maia, graduado em filosofia e teologia pela PUC Minas e pós-graduado em parapsicologia pelo Instituto de Parapsicologia e Potencial Psíquico - Sistema Grisa (Ipappi), em São Paulo, disseca o tema em palestra nesta noite. A mediadora será a professora Regina Vaz Ribeiro, também com um currículo invejável na área. A palestra é promovida pela Estudiosos em Filosofia do Centro-Oeste Mineiro (Agefil) e ocorre na Sala Adélia Prado, Biblioteca Ataliba Lago, avenida 7 de Setembro com rua Rio de Janeiro, às 19h. Imperdível, e a entrada é de graça.

Comentários
×