Presos em operação da PF são levados para o Floramar

 

Da Redação

A Polícia Federal (PF) realizou ontem a operação “Rota BR090”. Em Minas Gerais, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em Belo Horizonte e Oliveira. Os presos  na cidade a cerca de 60 km de Divinópolis, foram ouvidos na Polícia Federal no bairro Santa Clara e encaminhados para o presídio Floramar.  O objetivo da ação foi combater um esquema de fraude a licitações e desvios de recursos públicos federais do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

 A operação contou com o apoio da Controladoria Geral da União (CGU), do Ministério Público Federal (MPF) e da Receita Federal.

Ao todo, foram cumpridos seis mandados judiciais de prisão preventiva, quatro mandados judiciais de prisão temporária, 28 mandados judiciais de busca e apreensão, além de sequestro de bens, bloqueio judicial de valores dos envolvidos e afastamento dos servidores públicos investigados. Também ocorreram ações em Brasília (DF) e São Paulo (SP).

Milhões

A Polícia Federal informou que as investigações tiveram início em novembro de 2015. Na época, foi identificado um grupo de empresários do setor de construções, bem como servidores públicos do DNIT-MG que fraudavam as licitações relacionadas às obras rodoviárias no estado.

— Relatórios de auditoria da CGU confirmaram a existência de contratos superfaturados, execução de serviços com baixa qualidade e pagamento por serviços não executados. Apenas entre 2014 e 2019, os contratos assinados entre o DNIT/MG e as empresas totalizaram R$ 457 milhões — informou a PF.

Os investigados responderão por corrupção ativa, corrupção passiva, peculato, organização criminosa, lavagem de dinheiro, além das sanções previstas nas Leis nº 8.666/93, 8.112/90 e 12.846/13. Caso sejam condenados, os acusados podem ser condenados a cumprir 30 anos de prisão.

Comentários
×