Presidente do Conselho do Bugre desmente rumores de demissão

Alessio garante que Robson Luís continua no clube pelo menos até o fim do ano

José Carlos de Oliveira

 

Os bastidores do Guarani viveram um dia agitado. Desde as primeiras horas de ontem, começaram a circular pelas redes sociais rumores de que o presidente do Guarani, Robson Luís Camargos, iria entregar o cargo no início da próxima semana, assim que o clube encerrasse sua participação do Campeonato Mineiro do Módulo II. O Bugre se despede do estadual na tarde do próximo sábado, 28, quando enfrenta o Tupi no Farião.

A falta de apoio do poder público municipal, de empresários e políticos da cidade, além de uma perseguição sistemática de alguns membros da imprensa divinopolitana e o longo período sem a presença de público no estádio seriam os principais motivos que estariam levando o dirigente a jogar a toalha e abandonar sua missão à frente do Alvirrubro.

 

Tempos difíceis

 

Depois de dez anos navegando em águas calmas, sob o comando da família Morais – Gilson e Vinícius –, o Guarani viveu tempos agitados nos últimos meses, com eleição e posterior renúncia do presidente eleito Nivaldo Batista (Araújo), e o risco iminente de ser rebaixado para a Segunda Divisão do futebol mineiro em duas temporadas consecutivas. 

No ano passado, o clube se salvou na última rodada, derrotando o Ipatinga em pleno Ipatingão, e neste ano vê o drama se repetir, precisando fazer o resultado na última rodada para não correr qualquer risco.

O Guarani enfrenta o Tupi de Juiz de Fora no próximo sábado, às 15h, no estádio Waldemar Teixeira de Faria, precisando de um empate para evitar o descenso. Se o Bugre perder, terá que torcer por resultados negativos de seus rivais diretos – Democrata de Sete Lagoas e Sport Club Aymorés –, com um dos dois tendo que perder para que o Bugre continue no Módulo II em 2022.

 

Desmentido

 

No início da tarde de ontem, o presidente do Conselho Deliberativo do Guarani, Alessio Salomé, veio a público para colocar um fim à fala de renúncia do presidente Robson e garantir que ele permanece no cargo pelo menos até o fim do ano, cumprindo com todos os compromissos já assumidos pela diretoria para esta temporada.

— A pedido do presidente do Guarani, Robson Luís Camargos, o Conselho Deliberativo do Guarani se reuniu na noite de ontem (terça-feira) com a diretoria e havia rumores de que o presidente iria apresentar sua renúncia, mas não foi isso que aconteceu — garantiu Alessio.

O presidente fica pelo menos até o fim do ano, esperando que nos próximos meses aconteça um maior apoio de políticos, empresários e do próprio torcedor para manter em dia os compromissos do clube.

— O presidente assumiu o compromisso de continuar no clube pelo menos até o fim deste ano, até dezembro, garantindo que vai honrar com tudo que foi acordado pela diretoria, com o Bugre na disputa do campeonato estadual sub-17. Ele terá sempre o apoio de todo o Conselho Deliberativo, que reconhece o esforço que vem sendo feito pelo presidente para manter, mesmo sem nenhum apoio da cidade, o Guarani na disputa dos principais torneios promovidos pela FMF — esclareceu o presidente do Conselho Deliberativo do Bugre, Alessio Salomé.

Comentários
×