Presidente da Fiemg visita cidade

 

Jorge Guimarães

Com a presença do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Flávio Roscoe, a Marca Coletiva do Vestuário do Centro-Oeste será lançada oficialmente na próxima sexta-feira, 26, às 18h30, no auditório da Sicoob Divicred.

A ação, coordenada pelo Sindicato das Indústrias do Vestuário de Divinópolis (Sinvesd), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), integra o programa Fiemg Competitiva, que tem como objetivo aumentar o protagonismo das indústrias de Minas.

Construção

O projeto de construção da marca teve duração de seis meses e foi desenvolvido pela equipe técnica do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), entidade do Sistema Fiemg. O trabalho envolveu pesquisas para identificar características comuns das empresas e perfil dos clientes, bem como tendências de mercado. Também foi elaborado o regulamento do selo e criados o planejamento estratégico e a identidade visual da marca.

Procedência

Para a gerente de Inteligência Competitiva do Sistema Fiemg, Gabriela Ferreira Franco, o processo de construção da marca coletiva teve origem numa tentativa de resgate da credibilidade do produto de Divinópolis, que vem sofrendo ameaça de produtos importados, sobretudo, dos asiáticos.

— A marca coletiva, que assegura a procedência, é um diferencial para agregação de valor numa disputa em que o preço não é o único fator decisivo para optar por adquirir determinado produto. Com o selo, nós compramos também regionalidade, design autoral e diferenciado, e qualidade. Acreditamos que indústria, comércio e serviço crescem em representatividade econômica e credibilidade com a garantia de um produto que tem a assinatura da região — defendeu.

Aumento de clientes

De acordo com o presidente do Sinvesd, Marcelo Marcos Ribeiro, a construção da marca coletiva contribuirá para aumentar nos clientes a percepção de valor do produto confeccionado na região, além de reforçar a identidade do polo.

— Com a marca coletiva, poderemos favorecer a atração e retenção do público-alvo, e nos tornar mais competitivos no mercado — defendeu.

Marcelo destacou ainda a participação do presidente da Fiemg no evento.

— Contar com o presidente Flávio Roscoe comprova a importância do nosso polo e o potencial que temos para nos fortalecer ainda mais — finalizou.

Desenvolvimento do setor

 Já para o presidente da Fiemg Regional Centro-Oeste, Paulo César Costa, que também é empresário confeccionista, a marca coletiva é um importante marco para o desenvolvimento do setor e para a economia regional.

— A marca coletiva é o resultado da união das entidades Sinvesd, Sebrae e Fiemg, fomentando o desenvolvimento da região e contribuindo com o aumento da competitividade da indústria. A confecção é um setor que cumpre um importante papel na geração de emprego e distribuição de renda na região, e merece essa atenção — definiu.

 

Comentários
×