Presidente da Câmara rebate críticas sobre doações de patrimônios da Prefeitura para entidades religiosas

 

Da Redação

Os vereadores se reúnem no próximo sábado, 28, para o último encontro na Câmara em 2019. A data marca a realização da 5ª reunião extraordinário do ano - a terceira em sequência. Os parlamentares votaram, nos dias 23 e 26 deste mês, dez e doze projetos, respectivamente. A última deve contar com apenas três propostas. No entanto, cidadãos têm criticados os vereadores pela aprovação de doações de imóveis da Prefeitura para entidades religiosas.

Ao Agora, o presidente da Câmara, Rodrigo Kaboja (PSD), declarou que as críticas são feitas por pessoas que não compreendem o trabalho social desenvolvido pelas entidades.

— Foram, mais ou menos, uns 30 projetos que aportaram aqui na Casa no mês de dezembro. A maioria deles é doação onerosa para igrejas tanto evangélicas, como espíritas e católicas. Eu, pessoalmente, entendo que essas doações onerosas são importantes. Porque são pessoas que já demonstraram que elas querem servir, se doar. É o que aconteceu. Têm pessoas que criticam sem saber quem são essas pessoas, quem são essas entidades e o trabalho social que eles fazem — declarou.

Ainda sobre o tema, Kaboja afirmou que tais questionamentos são infundados.

— Às vezes, as redes sociais atacam sem conhecimento. Infelizmente. As pessoas de bem, que gostam da cidade, de se doar, hoje parece que não têm vez. As fake news e as pessoas do “mal”, que estão por trás, escondidas nas redes sociais, prejudicam aqueles que gostam de praticar o bem — argumentou.

O presidente da Câmara ainda explicou que os projetos foram votados em massa durante as reuniões extraordinárias, pois chegaram apenas neste mês. Ou seja, eles não estavam disponíveis para apreciação dos vereadores anteriormente, fazendo-se necessário à convocação dos vereadores em data não convencionais.

— Definitivamente não. Eles chegaram no mês de dezembro. (...) Os projetos aportaram aqui e havia algumas correções a serem feitas que foram detectadas pelo nosso corpo jurídico — esclareceu Rodrigo.

O presidente da Casa Legislativa ainda comunicou que a próxima reunião extraordinária encerra o trabalho dos vereadores neste ano.

— Nós já votamos o orçamento, hoje votamos vários projetos e ainda ficaram três projetos para outra extraordinária, que será feita no sábado, a partir das 9h30. (...) E então nós entramos de recesso e, se Deus quiser, em janeiro não faremos nenhuma reunião extraordinária. Se for solicitado pelo Executivo, temos que fazer — afirmou.

Segundo Kaboja, o primeiro projeto é uma doação onerosa para a Mitra Diocesana, na Catedral. Em seguida, deve ser votado liberação da verba do governo federal para a contratação de profissionais para a Saúde na cidade. Já o último diz respeito à mudança de zoneamento.

Comentários
×