Presidente da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais, Wirley Reis, se reúne com ministro do Turismo

Da Redação

Na tarde desta quarta-feira, dia 24 de fevereiro, o presidente da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais e prefeito de Itapecerica, Wirley Reis, se reuniu, em Brasília, com o ministro do Turismo, Gilson Machado, o secretário especial de Cultura, Mário Frias, e o presidente da Embratur, Carlos Brito. O objetivo do encontro foi discutir políticas públicas permanentes de divulgação do turismo doméstico brasileiro e mineiro, focadas no destino turístico das cidades históricas mineiras e seu patrimônio, para ser veiculada no período pós-pandemia. A proposta foi bem recebidas pelos presentes. Segundo ele, momento é "histórico e oportuno para reforça nossas belezas locais, regionais e estaduais".

O presidente da Associação das Cidades Históricas destacou também a importância do destino turístico de Minas Gerais como um todo, envolvendo sua cultura, história, atrativos naturais, culinária, entre tantos outros atributos que fizeram do Estado a principal referência no turismo interno do Brasil. Wirley Reis pediu para que sejam contruídos projetos, programas e parcerias de políticas públicas federais em diálogo com os Estados e suas Associações, direcionadas ao turismo e a cultura genuína de cada região, "visando sempre a divulgação, valorização e preservação do patrimônio histórico tombado nos estados, lembrando que Minas Gerais detém mais de 50% de todo o patrimônio histórico tombado no Brasil".

Ao fim, Wirley apresentou um estudo com informações das cidades históricas pertencentes à associação, além de seus atrativos e um pouco de sua história. Na oportunidade, o prefeito de Itapecerica convidou o ministro do Turismo e o secretário de Cultura a estarem presentes ao próximo encontro das Cidades Históricas de Minas Gerais, que foi adiado para o segundo semestre deste ano.  A pauta do encontro anual das cidades históricas de Minas tem como tema central em 2021 “O futuro do Turismo domestico em Minas Gerais e no Brasil”.

 

Comentários
×