Prefeitura realiza manutenção preventiva nas margens do rio Itapecerica e de córregos

Foi possível perceber que o rio atingiu o nível crítico de 1,60 metro abaixo do leito normal.

Da Redação

A Secretaria Municipal de Operações e Serviços Urbanos (Semsur), com agentes da Defesa Civil, completaram operações de retirada de aguapés, entulho e animais mortos nas margens do rio Itapecerica e de córregos da zona urbana. As equipes também removeram galhos e arbustos para liberação do fluxo de água do rio e dos córregos. 

Gilberto Gonçalves, agente da Defesa Civil, aconselha o público que evite a disposição final de resíduos sólidos urbanos em áreas inadequadas, como córregos e margens de rio.

— O lixo irregular provoca pontos de acúmulo de água, focos de dengue e proliferação de animais peçonhentos, como ratos, cobras e escorpiões, que, por sua vez, procuram abrigo em residências próximas — disse.

Outro trabalho foi afixação e controle de nível do rio com instalação de réguas de medição em pontos estratégicos: Candelária, Belvedere, São Miguel, Esplanada, Niterói, Porto Velho e Dom Pedro II.

Com os dados, foi possível perceber que o rio atingiu o nível crítico de 1,60 metro abaixo do leito normal. O período de estiagem, associado com a seca no lençol freático próximo às margens e em parte dos córregos na zona rural, contribuíram para a baixa do nível.

Denúncia 

Descartar lixo em áreas protegidas e leitos de córregos e rios é crime, pelo que a Prefeitura tem canal de denúncia. A Vigilância Ambiental, por meio de agentes, monitora ações ilegais que devem ser combatidas e denunciadas pela população.

Denúncias sobre crimes contra o ambiente, como descarte incorreto de pneus, que é muito comum, devem ser apresentadas ante a Vigilância em (37) 3229-6822 ou pelo App Divinópolis.

Comentários
×