Prefeitura participa do encontro regional 'Recomeça Minas'

Da Redação

O prefeito Gleidson Azevedo participou, na última sexta-feira, 16, do Encontro Regional Centro Oeste - Recomeça Minas, realizado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O objetivo foi ouvir lideranças dos setores impactados pela crise em decorrência da covid-19, para coletar sugestões de aprimoramento do plano de recuperação econômica do Estado.

O encontro foi realizado virtualmente, com a presença do presidente da Assembleia, deputado Agostinho Patrus (PV), do prefeito Gleidson Azevedo, vários parlamentares, trabalhadores e lideranças políticas e empresariais da região do Centro-Oeste. Esse encontro teve como objetivo recolher sugestões da sociedade para aperfeiçoar o Projeto de Lei (PL) 2.442/21, que contém o referido plano.

— Somente as ondas não resolverá o problema, precisamos colocar restrições para o comércio sim, mas teremos de conviver com esse vírus por mais tempo. Peço a todos os deputados e ao senhor presidente da ALMG, Agostinho Patrus, que peçam ao Governador Romeu Zema uma solução mais eficaz para este problema. O Governo fechou o comércio sem previsão de voltar. Precisamos conviver com o vírus, vamos morrer de fome sem poder trabalhar, não dá mais para viver com o comércio fechado. Não tem mais auxílio dos governos estadual e federal, os comerciantes não aguentam mais. Precisamos de um plano de ação para rever as diretrizes de combate à pandemia — disse o prefeito Gleidson Azevedo.

Com o Recomeça Minas, a ALMG ouviu empresários e trabalhadores de todas as regiões do Estado, a fim de recolher sugestões para a construção de um plano de retomada do desenvolvimento econômico.

Segundo informou a Prefeitura, empresários e representantes da sociedade civil foram unânimes em destacar a situação de penúria enfrentada pela indústria e pelo comércio nos municípios mineiros e defenderam a urgência de medidas de auxílio do poder público. Eles lembraram que o fechamento de empresas gera não só um grande prejuízo na economia, mas também social, ao deixar trabalhadores desempregados e sem ter como sustentar suas famílias.

 

Comentários
×