Prefeitura: ou paga salários ou faz obras

 Desde o governo Vladimir Azevedo (PSDB) que comento: em Divinópolis, a prefeitura ou paga em dia os salários dos servidores ou faz obras. As duas coisas, simultaneamente, não dá conta. E cada dia que passa, a Administração Municipal mais se complica! No Governo Vladimir Azevedo, pagavam-se os salários em dia, mas as demandas urbanas foram sacrificadas ou preteridas. Ainda assim, a situação financeira do município ficou tão dramática que, no fim do mandato tucano, decretou-se a calamidade financeira na prefeitura.

 Crise piora com Galileu

 O pagamento dos salários dos servidores em 2018 custou 47,36 % do Orçamento Municipal ou R$ 320.300.433,90 da renda corrente líquida de R$ 676.18.775,47. É preciso lembrar que o Orçamento Municipal deve ainda viabilizar Saúde, Educação, Diviprev, Câmara Municipal. Se o orçamento já é curto, acrescente-se a esse caos administrativo o relevante e frustrante fato de que o governo Pimentel (PT) reteve verbas estaduais de direito da Prefeitura e o governo Zema (NOVO) está, até agora, seguindo esta mesma cruel toada. Resultado: salários e 13º atrasados.

 Diviprev financiando o governo

 Com todas essas dificuldades, e por causa delas, a Prefeitura tem uma dívida alta com o Instituto de Previdência dos Servidores do Município. (Diviprev). E, para pagar o 13º salário referente a 2018, o Governo Galileu Machado teve que parcelar em 60 meses a dívida de R$ 10,7 milhões com o Diviprev. De certa forma, o Instituto tem financiado a Administração, já que este é o terceiro financiamento feito pelo Governo. A expectativa é a de que o 13° será pago aos servidores hoje: sexta feira, 15.

 O que quer o prefeito?

 Até hoje, não entendi o que quer o Governo Galileu Machado. Explico: Galileu, em seu mandato 2001/2004, ficou três meses sem pagar os salários e o 13º dos servidores. Conhecia, portanto, as dificuldades que iria enfrentar neste novo mandato. E, na campanha eleitoral, sabia que a Prefeitura estava sob calamidade financeira. Portanto, o que o bom senso administrativo aconselhava? - Que não enchesse a Prefeitura de apaniguados políticos. E o que ele fez? Nomeou mais de duzentos cargos comissionados! E o mais absurdo ainda: com todo este quadro administrativo caótico, ele continua fazendo nomeações para cargos comissionados, sem qualquer controle. Falta de publicidade desse disparate não é! Enquanto isso, os buracos na rua cada vez aumentam mais e bradam por socorro.

 CPF vira documento único para acessar informações e benefícios do governo

 O Diário Oficial da União (DOU) de terça-feira, 12, publicou o Decreto 9.723/2019, assinado pelo

presidente Bolsonaro, que institui o Cadastro de Pessoas (CPF) “como instrumento suficiente e substitutivo da apresentação de outros documentos do cidadão no exercício de direitos ou na obtenção de benefícios”.

CPF vai substituir:

- Carteira de trabalho;

- Certificado de serviço militar;

- Carteira de habilitação;

- Inscrição em serviços sociais e registros no PIS/PASEP nas consultas a bancos de dados do governo.

 Perfil de um autor de assassinato múltiplo

 Segundo Michael Stone, professor de psiquiatria clínica da Universidade Columbia, assassinos ou autores como os que mataram os estudantes em Suzano/SP (assassinato múltiplo) têm os seguintes comportamentos e características:

- O autor é quase exclusivamente do sexo masculino, da raça branca em sua maioria, da classe trabalhadora, impulsionado por algum tipo de ressentimento, embora possa apresentar algum problema de personalidade;

- Alguns sofrem de esquizofrenia induzida por drogas e/ou de um transtorno de personalidade esquizoide;

- As estatísticas mostram que a maioria dos autores de assassinatos múltiplos não tem problemas mentais. "Há muitos outros que eram apenas trabalhadores ressentidos, amantes despeitados, um pouco paranoicos, com raiva, mas não loucos";

- "Embora o dado não seja novo, chama a atenção: dos 235 casos analisados, apenas nove foram conduzidos por mulheres. Deste modo, 97% dos assassinatos múltiplos são causados por homens", conclui Stone.

Comentários
×