Prefeitura não informou sobre contaminação de água, diz Arsae

 

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) aberta na Câmara de Divinópolis para apurar denúncias de irregularidades no serviço prestado pela Companhia de Saneamento (Copasa) ouviu ontem dois representantes da Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Aguá e de Esgotamento (Arsae). Eles disseram que a autarquia responsável por fiscalizar a concessionária não foi notificada pela Prefeitura sobre o resultado de um levantamento feito pela Vigilância Sanitária municipal, que comprou contaminação em água fornecida pela Copasa. De acordo com o presidente da CPI, Sargento Elton (PEN), isso impediu que o órgão atuasse notificando e multando a empresa.  

Prestaram depoimentos o gerente de fiscalização Henrique Barcelos e o gerente de regulação tarifária Renan Almeida.  

— Eles disseram que aquele laudo da Vigilância Sanitária municipal que apontou contaminação na água fornecida pela Copasa, inclusive por coliformes fecais, não foi enviada à Arsae pela Prefeitura. Uma vergonha. Uma aburso. O Município simplesmente não oficializou esse resultado à Arsae, o que impediu a agência de atuar notificando e multando a Copasa. Mais uma falta de competência da Prefeitura – analisou Sargento Elton. Os gerentes também disseram que é preciso considerar a revisão do contrato firmado pelo Município com a Copasa.  

— Else também disseram que no contrato diz que as ETES [Estações de Tratamento de Esgoto] precisam estar em perfeito funcionamento. Em um relatório recente da Arsae, a agência não considera como ETEs a do Nova Fortaleza e a do Terra Azul/Costa Azul como  não são citadas como uma fossa gigante. No meu entendimento, isso permite quebra do contrato — acrescentou. 

 Comunicação  

Henrique Barcelos disse que um problema da Copasa com a falta de comunicação.  

— É preciso melhorar a comunicação da Copasa com o Município e principalmente com os usuários para que não haja surpresa com relação a alguma manutenção que necessite da suspensão do abastecimento de água e até mesmo a respeito da substituição da bomba de água que tem um processo demorado e acarreta no grande número de reclamações — comentou.  

Próximos passo  

 A CPI pretende ouvir a população na sexta-feira, 24, e na segunda-feira, 27.  

— Depois nós convocaremos os ex-prefeitos Demetrius Pereira, Vladimir Azevedo e o atual, Galileu [PMDB] para que prestem seus esclarecimentos sobre indícios de crimes que estão sendo levantados — informa o vereador. 

Por meio de nota a Copasa informou que "sempre prestou e continuará prestando todas as informações necessárias para esclarecer as questões relativas a prestação dos serviços de abastecimento de água e do esgotamento sanitário em Divinópolis". 

Outros detalhes sobre as oitivas de ontem estão no Portal Agora: agora.com.vc. (RW) 

 

 

Comentários
×