Prefeitura encontra entulhos às margens do rio Itapecerica

 

Maria Tereza Oliveira

As chuvas voltaram a ser protagonistas na cidade. Na última segunda-feira, 15, choveu em grande parte da tarde, o que trouxe, por consequência, diversos transtornos para Divinópolis. Várias ruas da cidade ficaram alagadas e comércios na região central foram tomados pela chuva. Com o intuito de evitar que o cenário se repita, ontem a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) realizou limpeza dos córregos e no rio Itapecerica.

As recentes ocorrências levantaram um debate sobre a questão do lixo nas ruas. Se depender da previsão do tempo, as chuvas devem dar uma folga no fim de semana prolongado, mas a qualquer momento ela pode dar as caras. Além do papel do Município, a população precisa fazer sua parte para evitar as enchentes.

Transtornos

As chuvas do início da semana deixaram um rastro de destruição em diversos pontos divinopolitanos e também prejuízos. Os 30 minutos em que a chuva veio com mais intensidade na segunda foram suficientes para deixar as avenidas 1º de Junho e JK quase intransitáveis.

Na 1º de Junho, diversas lojas foram invadidas pela água e os funcionários foram flagrados tentando jogar a água para fora e salvar as mercadorias.

Além do prejuízo financeiro, há a preocupação com a segurança das pessoas no trânsito. Um exemplo disso foi na JK: um dos principais acessos ao Centro foi tomado pela água. Pouco depois da rotatória no bairro bom Pastor, a água invadiu a via, impossibilitando o tráfego de carros.

Se já não bastassem todos os transtornos que uma enchente traz, há ainda, após o recuo das águas, o alto risco de contaminação, que expõe a população a inúmeras doenças, além do aumento de acidentes como afogamentos, lesões corporais e choques elétricos.

Há também a ampliação na proliferação dos vetores de doenças, como ratos e mosquitos, e de picadas de animais peçonhentos, como aranhas, escorpiões e cobras.

O simples contato com a água contaminada pode ocasionar a transmissão de doenças, como leptospirose, hepatites A e E, febre tifóide, cólera, além de causar um aumento nos casos de dengue.

Prevenção

A Semsur realizou ontem, mutirão para a limpeza. De acordo com a Prefeitura, o serviço é constante, entretanto, foi intensificado devido às recentes chuvas.

Conforme salientou o diretor de Operações e Serviços Urbanos, Rodrigo Assis, a ação tem como objetivo diminuir o risco das enchentes. Os objetos retirados foram os mais diversos.

— Tiramos aparelhos de televisão e até sofás nesta limpeza. O que resulta em enchentes é a disposição irregular de resíduos nas margens de rios e córregos. É necessário que a população tenha consciência da forma correta na dispensa do lixo — aconselhou.

Rodrigo alertou que as chuvas da semana foram suficientes para aumentar consideravelmente o nível do rio Itapecerica.

— A medição de elevação do rio mostrou que ele está 15 centímetros acima do leito normal. Por isso, já o estamos monitorando para possíveis ações — destacou.

Povo fala

Como pontuou Rodrigo Assis, o papel da população é parte importante na prevenção de enchentes. Uma das atitudes mais comuns e prejudiciais ao meio ambiente, além da contribuição para a ocorrência de alagamentos, é o hábito de jogar lixo nas ruas.

O Agora ouviu algumas pessoas para saber se a população tem feito sua parte e entende as consequências dessa ação.

A vendedora Alicia Aparecida Nogueira, 26, afirma que nunca joga lixo nas ruas.

— Mas não é raro a gente ver as pessoas jogando. Eu acho isso curioso, porque há lixeiras espalhadas por toda a cidade, mas o povo prefere sujar a rua do que esperar um lixo para descartar — salientou.

Para ela, papel de bala, cigarro e copo são os campeões de lixo na rua.

Já o estudante Bernardo Antônio Ferreira, 18, é o oposto. Ele confessou que vez ou outra acaba jogando lixo nas ruas.

— Não é sempre que a gente acha uma lixeira ou tem algum lugar para guardar o lixo. Como a gente vai entrar no ônibus lotado segurando uma lata, por exemplo? Não tem como, então somos obrigados a jogar no chão — justificou.

Todavia, ele acredita que a Prefeitura deveria fazer mais para evitar enchentes.

— Não adianta cobrar da gente, mas não colocar mais lixeiras ou limpar os bueiros. Entope mesmo, e aí é o povo que “paga o pato” — criticou.

Mais chuva?

De acordo com a previsão do tempo, a chuva deve dar uma trégua no feriado prolongado. O dia com mais probabilidade de chuva é hoje.

Segundo o Climatempo, hoje o tempo fica nublado pela manhã, com possibilidade de garoa. Durante a tarde, o sol estará mais intenso com diminuição de nuvens. A noite também deve ser nublada.

Já para amanhã, assim como no sábado de aleluia e no domingo de Páscoa, o sol aparece com algumas nuvens, mas não chove.

 

Comentários
×