Prefeitura divulga 7 classificadas para gerir a UPA

 

Maria Tereza Oliveira

Mais novidades sobre a gestão da Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto (UPA 24h), que está em fase pré-licitatória, foram publicadas na edição do Diário Oficial dos Municípios da última sexta, 22. Dentre 11 empresas que foram avaliadas, sete foram classificadas para o chamamento público. O contrato com a Santa Casa de Formiga vence em setembro, e, portanto, a expectativa e de que a nova gestora da Unidade seja conhecida antes do fim do semestre.

A gestão da UPA é uma novela que se arrasta por meses. O cargo quase foi ocupado pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste (Cis-Urg). Além disso, a administração feita pela Santa Casa de Formiga chegou a virar alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

Classificadas

Com o Cis-Urg batendo na trave e a Santa Casa de Formiga desacreditada, a pressão para encontrar uma nova gestão. Entre as sete empresas classificadas, três são de São Paulo, duas são de Minas, uma da Bahia e uma de Maranhão.

Quase

Em novembro passado, os prefeitos que fazem parte do Cis-Urg rejeitaram, por uma diferença de um voto, que o Consórcio ficasse responsável pela gestão da UPA.

Na ocasião, 14 prefeitos votaram a favor da gestão e 15 votaram contra.

Formiga

Desde sua inauguração em 2014, a sua administração é feita pela Santa Casa de Formiga. Em 2017 foi realizada reunião no Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD), e tanto os representantes da Santa Casa, quanto os representantes da Prefeitura sinalizaram interesse em romper o contrato.

O vínculo entre a Santa Casa e a Unidade termina em setembro.

Alvo de CPI

Em dezembro de 2017, a Câmara instaurou uma CPI para investigar irregularidades no contrato de gestão da UPA. O pedido foi feito pela da vereadora Janete Aparecida (PSD) e, além dela, Zé Luiz da Farmácia (PMN), Nego do Buriti (PEN) e Raimundo Nonato (PDT), fizeram parte da comissão.

Durante toda a investigação, pelo menos 20 pessoas foram ouvidas pela CPI. As investigações e as oitivas foram realizadas em sigilo, com a justificativa de que a ampla divulgação poderia afetar os trabalhos e também a integridade dos depoentes.

De acordo com a solicitação feita pelo presidente da comissão, Zé Luiz, o relatório final da CPI deveria ter sido entregue em julho.

Em agosto, Janete chegou a informar para o Agora que o relatório havia sido assinado pelos membros da comissão, no dia 31 daquele mês.

Todavia, foi só no fim de outubro que a CPI da UPA entregou o relatório final. Como resultado, foi comprovado um pagamento irregular de cerca de R$ 2,7 milhões para a Santa Casa de Formiga.

Desde então, a cobrança para uma nova gestão aumentou, mas, parece que agora, finalmente, a novela pode ter um desfecho.

Comentários
×