Prefeitura detalha plano de contingência do presídio Floramar

Da Redação

A Prefeitura de Divinópolis informou que vem trabalhando, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), para prevenir o avanço da covid-19 no sistema prisional. Em maio, a secretaria juntamente com a Colônia Penal Floramar, elaborou o plano de contingência que visa estabelecer parâmetros de enfrentamento dentro do presídio.

Os protocolos foram construídos de acordo com as normas técnicas da Secretaria Estadual de Saúde (SES) e Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e são atualizados de acordo com as necessidades surgidas nos processos de ingresso, permanência e saída dos detentos.

— Desde o início da pandemia, o complexo adotou medidas para evitar a contaminação dos detentos e funcionários. Dentre elas está a realização de teste rápidos em todo preso que chegue ao local. Caso o resultado seja positivo ou tenha algum sintoma, mesmo estando negativo, o preso recebe máscara cirúrgica, sendo isolado por 14 dias e monitorado pela secretária, recebendo todos os cuidados que cabe a atenção primária. Somente casos com sinais de gravidade ou pessoas com condições de vulnerabilidade (idosos, imunodeprimidos) devem ser encaminhados para os serviços de saúde do município para isolamento e tratamento — informou a Prefeitura.

Outras medidas de enfrentamento

A unidade prisional deve disponibilizar sabão líquido e álcool gel 70% de fácil acesso para servidores e internos higienizarem as mãos. A higienização é exigida ao adentrar no complexo, antes de qualquer refeição, após o uso do telefone; ou qualquer outra situação que se julgue necessária. Tais cuidados devem ser amplamente divulgados pela unidade a internos e servidores.

Se houver no presido servidor com sintomas (febre, sintomas de resfriado ou sintomas gripais) deverá este procurar um serviço de saúde referência, para avaliação, orientações e cuidados médicos necessários. Os casos que demandarem concessão de licença para tratamento de saúde deverão respeitar o isolamento.

Caso haja detento com suspeita da doença, este será encaminhado para atendimento médico para monitoramento, diagnóstico e confirmação ou descarte da doença. Em caso de pessoas com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), estas deverão ser encaminhadas para o Serviço de Saúde de referência. Imediatamente é realizada a limpeza e desinfecção do dormitório e demais ambientes de uso comunitário.

Para apenados maiores de 60 anos ou com doenças crônicas e detentas grávidas recomenda-se promover o isolamento.

O veículo de transporte, a cada utilização, é limpo e desinfetado com álcool 70%, hipoclorito de sódio ou outro desinfetante indicado para este fim.

Óbito por covid-19 

A Semusa confirmou a morte de um detento do presídio Floramar por covid-19, nesta terça-feira, 7. O homem tinha 64 anos e possuía comorbidades. Ele veio transferido de outra penitenciária. Logo que chegou ao local, foram realizados todos os protocolos de enfrentamento estabelecidos pelo Plano de Contingência como o teste rápido e isolamento.  Com o agravamento dos sintomas, ele foi encaminhado para Upa Padre Roberto. Devido a complicações, o detento não resistiu e faleceu.

 
Comentários
×