Prefeitura de Divinópolis libera aumento na tarifa de táxi

Gisele Souto

As novas tarifas cobradas pelo serviço de táxi estão em vigor desde quarta-feira, 28. O aumento foi uma reivindicação do Sindicato dos Condutores Autônomos à Prefeitura de Divinópolis, tendo em vista os reajustes dos insumos, principalmente o combustível. O sindicato alega que o abastecimento representa 50% do gasto da categoria. 

A autorização do prefeito Galileu Machado (MDB), com base na Lei Orgânica Municipal, foi publicada na quarta no Diário Oficial dos Municípios. Trata-se do Decreto 12.861/2018.  

O último reajuste das tarifas dos táxis em Divinópolis ocorreu em 8 de janeiro de 2016, há mais de dois anos. A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settrans), por meio do serviço de análise tarifária, fez o acompanhamento técnico da evolução dos custos operacionais e opinou pelo reajuste da tarifa. Houve ainda análise feita pelo Conselho Municipal de Trânsito (Comutran). 

Valores  

O artigo II diz que permanece o uso regular da “Bandeira II”, para os sábados a partir das 12h horas e para os domingos e feriados. Já o III proíbe a cobrança de qualquer valor a título de “retorno”. 

A bandeirada permaneceu nos atuais R$ 5,40; a bandeira I passou de R$ 3,58 para R$ 3,76; bandeira II subiu de R$ 4,36 para R$ 4,60; e a hora parada foi de R$ 22,06 para R$ 24,61. 

Mesmo valor 

A reportagem ouviu alguns taxistas sobre ao aumento. Nenhum sabia da medida em vigor desde quarta. É caso de Ulicêzidio Oliveira Melo, há 20 anos na profissão. Além de desconhecer, ele diz que não tem como aumentar, tendo em vista, principalmente a concorrência com os Ubers, que cobram preços mais acessíveis.  

— Tem cliente que pede desconto com os atuais preços, imagine se aumentar — revelou. 

Os novos preços já estão valendo, porém podem ser cobrados somente a partir de maio, quando acontece a aferição dos taxímetros. A vistoria do Instituto de Pesos e Medidas (Inmetro) está marcada para os dias 8, 9 e 10 de maio. Só a partir daí, é possível alterar os números. 

 

 

Comentários
×