Prefeitura de Divinópolis decreta afastamento preventivo de servidores do luto

Pollyanna Martins

Os agentes funerários da Prefeitura de Divinópolis que chegaram a ser presos na “Operação Thanatos”, deflagrada em março pelo Ministério Público (MP) e pela Polícia Civil, continuarão afastados de suas funções. Foi publicado nessa quinta-feira, 5, no Diário Oficial dos Municípios Mineiros, o decreto de afastamento preventivo dos servidores. O Município alegou que as apurações feitas pelo Ministério Público ainda não terminaram e que, em grande parte, baseiam-se em provas mantidas em sigilo.

Conforme informou o Poder Executivo, a Comissão de Processo Administrativo Disciplinar deliberou sobre a transferência dos servidores para outros setores da Prefeitura, porém é impossível, uma vez que caracterizaria desvio de função. Diante da impossibilidade de transferência dos agentes funerários, a comissão optou por mantê-los afastados até que o Ministério Público e a Polícia Civil terminem as investigações.

A operação

Cinco pessoas foram presas e 20 mandados de busca e apreensão foram cumpridos no dia 2 de março, na operação feita pela Polícia Civil e Ministério Público. A operação investigava um esquema de corrupção que envolvia servidores da Prefeitura e empresas prestadoras de serviços funerários em Divinópolis.

Comentários
×