Prefeitura de Divinópolis corre para salvar voos da Azul

Jorge Guimarães

Segue o impasse entre Prefeitura e Socicam a respeito do Aeroporto Brigadeiro Cabral. A empresa ameaça deixar a gestão do local se não receber os R$ 2,6 milhões devidos pelo Município. Se isso acontecer, a Azul também irá parar de operar na cidade. 

Conforme apurou o Agora, a Socicam já teria comunicado a Prefeitura que, se não houver a quitação do débito até hoje, 29 de março, a empresa iria se retirar da administração do aeroporto, a partir de 1º de abril, ou seja, o próximo domingo. 

Por consequência, sem a administração, os voos comerciais da Azul seriam extintos, por falta de infraestrutura, conforme informações da própria Socicam e confirmadas pela empresa área.     

Solução 

Para tentar resolver a situação o staff do prefeito Galileu Machado (MDB) esteve reunido durante todo o dia de ontem. Entre os presentes, além do prefeito, estava o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Alonso Dias. Até o fechamento desta reportagem, por volta das 18h30, a reunião ainda não havia sido encerrada.   

Apoio 

Por meio de nota, a Prefeitura destacou que um dos problemas é a falta de apoio, que pode levar a um processo de entrega do aeroporto à Secretaria Nacional da Aviação Civil, proprietária do imóvel, e até a uma interdição do local.  

– Daí a importância de buscarmos um consenso e o apoio dos proprietários de aeronaves que também utilizam o aeroporto. O contribuinte não pode pagar esta conta – avaliou o procurador do Município, Wendel Santos. 

vida   

Em recente encontro, o prefeito apresentou as dificuldades na manutenção do funcionamento do aeroporto.  Galileu informou que, em razão do contrato realizado no ano de 2015 com a Socicam, a dívida acumulada no período é de R$ 2.664.000. 

A Prefeitura garante ainda que busca parcerias com os proprietários de aeronaves para minimizar os custos de funcionamento do aeroporto. Para isso, está previsto o agendamento de um encontro entre os representantes municipais e o Ministério Público Federal. 

 

Comentários
×