Prefeitura de Divinópolis afasta servidores presos na operação 'Thanatos'

 

Gisele Souto

A Prefeitura de Divinópolis afastou ontem, preventivamente, seis servidores lotados no Serviço Municipal do Luto, ambos investigados na operação “Thanatos”, desencadeada na última sexta-feira pela Polícia Civil em parceira com o Ministério Público. O decreto 12.844/2018 com o nome dos funcionários será publicado hoje no Diário Oficial dos Municípios. O afastamento é de 60 dias e pode ser prorrogado por igual período.

Segundo o decreto, considerando a gravidade dos fatos apurados, os servidores serão afastados.

— Investigações apontam para prática de diversas irregularidades por parte de alguns servidores lotados no Serviço Municipal do Luto — destacou o decreto.

Conforme o documento, o intuito é de prevenir que a volta dos servidores investigados possa influir na apuração administrativa dos fatos.

Soltos

Quatro agentes e um gerente de Floricultura foram levados para o presídio Floramar, ainda na tarde de sexta-feira, dia em que a operação foi desencadeada, na madrugada.  A megaoperação que foi para as ruas ainda na madrugada teve o objetivo de combater um dos maiores esquemas de corrupção já vistos no poder público municipal de Divinópolis, conforme a PC e o MP. Porém, a estadia deles na unidade prisional foi breve: dois dias e uma noite. Na segunda-feira, eles já estavam em liberdade.

Os atos criminosos envolvem em princípio, já que as investigações continuam, quatro agentes funerários que teriam se associado para cometer crimes com um grupo de pessoas para venda de produtos ligados à prestação dos serviços funerários, como flores. Além deles, o gerente de uma floricultura no bairro Santa Clara foi preso. Os agentes recebiam, segundo a polícia, propina na transferência e venda de produtos por particulares do mesmo ramo de atuação, em vez de venderem produtos do próprio Serviço do Luto Municipal, causando prejuízo para as famílias enlutadas e para os cofres públicos.

Os danos, de acordo com a Polícia Civil, são estimados até o momento em R$ 300 mil

Comentários
×