Prefeitura corre para retirar aguapés antes da piracema

Frente de trabalho atua em cinco pontos do rio Itapecerica

 

O trabalho de retirada dos aguapés no rio Itapecerica foi intensificado nos últimos dias para que a limpeza termine antes da chegada do período da piracema.

A retirada acontece de março a setembro, e, após o período, o trabalho precisa ser paralisado devido ao período da piracema, quando qualquer intervenção no rio é proibida.

De acordo com o diretor de Operações da Secretaria Municipal de Operações Urbanas (Semop), Rodrigo Alves de Assis, do bairro Esplanada até o bairro Candelária, são cinco pontos de retirada das plantas.

— Quando a população aponta grande quantidade de aguapés concentrados só um local, é um ponto de retirada. Eles são direcionados para locais que permitem aglomeração para que profissionais e máquinas possam realizar o trabalho — explicou.

O trabalho

O trabalho inicia-se com colaboradores soltando aguapés das margens com apoio de barcos, bambus e ganchos. Depois, os aguapés são puxados com auxílio de cordas até o local onde a contenção que possibilita a entrada de caminhão e de retroescavadeira é executada. O carregamento com as plantas é levado para o local de saturação.

É nos locais que as plantas perdem o volume de água para facilitar o descarte no aterro controlado. — O local é temporário; a população não deve se preocupar — explicou.

O diretor também salienta as fases de operação.

— Retirada de aguapés é contínuo trabalho da secretaria nos meses em que é permitida e não consiste apenas em profissionais dentro de barcos. É trabalho de grande equipe que atua em pontos onde há acúmulo das plantas aquáticas — completou

 

Comentários
×