Prefeitura anuncia nova quebra de contrato com Arbor; empresa não presta mais serviço

 

Da Redação

O último dia de 2018 em Divinópolis trouxe promessa e esperança de renovação. O prefeito Galileu Machado (MDB) anunciou que uma nova empresa deveria assumir o serviço de coleta de lixo nesta semana. A primeira opção é a segunda colocada do processo de licitação da época quando a Arbor ganhou o direito de exercer o serviço na cidade. A promessa de solução para o problema foi para ontem. E aconteceu. A Prefeitura extinguiu o contrato com a empresa e a medida já está publicada no Diário Oficial dos Municípios. O Agora aguardou até a meia noite de ontem e publica o rompimento com exclusividade na edição de hoje.

O anúncio veio depois de moradores de vários bairros, como Halim Souki, Manoel Valinhas, Afonso Pena, Sidil, Alvorada, Racho Alegre entre outros, denunciarem a falta de coleta de lixo. O ano virou e os problemas continuaram os mesmos. As festas natalinas e de fim de ano aumentaram os resíduos nas vias e a coleta continua não dando conta da demanda. Segundo a Prefeitura, Divinópolis produz, por dia, 155 toneladas de lixo.

No dia 26 de dezembro, a Vigilância da Saúde esteve na sede da Arbor para notificá-la. O representante da empresa, Alexandre Carlos Ferreira, pediu cinco dias para normalizar o serviço. Mas, isso não aconteceu. O que fez o prefeito confirmar a rescisão.

Não é a primeira vez

No dia 19 de dezembro, após reclamações da população, a Prefeitura anunciou a quebra do contrato com a Arbor. A Secretaria de Operações Urbanas (Semop) estaria responsável pela coleta até uma nova empresa ser contratada. O rompimento do contrato durou menos que 24h. No dia seguinte, a Prefeitura anunciou um acordo com representantes da Arbor para a continuidade da validade do contrato, até maio deste ano. Porém, desta vez, a quebra de contrato foi concretizada.

Os atrasos na coleta se deram pela paralisação dos funcionários, que estavam sem receber o 13° salário e o vale-transporte. A empresa prometeu regularizar as dívidas trabalhistas e realizar um mutirão no dia 23 de dezembro para normalizar o serviço na cidade. Mesmo após a ação, os cidadãos divinopolitanos continuaram a sofrer com o acúmulo de lixo.

Nota da Arbor

Em resposta ao prefeito, o Grupo Arbor emitiu uma nota ressaltando os esforços da empresa para normalizar as atividades em Divinópolis.

— A situação está muito próxima de entrar na normalidade. Registramos que nesses últimos 10 dias foram coletadas cerca de 430 toneladas a mais de lixo do que normalmente, evidenciando, com isso, que os serviços estão sendo feitos dentro das regras estabelecidas.

A Arbor também assumiu não ter normalizado a situação na zona rural.

— A empresa assume de forma transparente que algumas áreas da zona rural estão atrasadas e afirma que nesta semana a situação será normalizada. No restante da cidade a coleta já está sendo feita dentro do que já é estabelecido — afirmou em nota.

Segundo a empresa, a situação ainda não se normalizou devido ao lixo produzido pelas festas de final de ano.

— Não podemos deixar de mencionar que está é uma época em que há um consumo maior nas famílias, resultando em mais descarte de lixo e, juntamente com a demanda reprimida por conta da paralisação, houve a necessidade de mais planejamento, estratégia e tempo para fazer a coleta, entretanto, é visível que os trabalhos estão sendo feitos para que a normalidade se instale em Divinópolis.

Na nota, a Arbor anunciou ter aumentado a intensidade dos trabalhos, passando de sete para oito caminhões, durante o dia, e de seis para sete, durante o período da noite. Sobre as questões trabalhistas, a empresa informa que os veículos foram otimizados e “as condições internas de limpeza e organização da garagem foram melhoradas”.

A novela Prefeitura-Arbor se estende mais e os divinopolitanos aguardam uma solução, enquanto bairros continuam a sofrer com a falta de coleta de lixo.

Vale ressaltar que quando emitiu esta nota, a Abor não sabia ainda que teria seu contrato com o Município, rescindido.

 

Comentários
×