Prefeitos do Centro-Oeste dizem não à Usina de Asfalto

Da Redação

Os prefeitos que integram a Associação dos Municípios do Vale do Itapecerica (Amvi) se reuniram nesta quinta-feira, 5, na sede da entidade em Divinópolis, para, juntos, informar que não têm interesse em estabelecer um consórcio para receber a usina de asfalto oferecida pelo senador Carlos Viana. O motivo é o alto custo operacional do serviço e as dificuldades em se operacionalizar o empreendimento.

Dos 13 prefeitos que fazem parte da entidade, nove estiveram presentes no encontro. Os demais, por telefone, ratificaram apoio à decisão junto ao presidente da Amvi ao fim da reunião. A associação emitiu uma nota técnica em que explica, detalhadamente, os motivos que inviabilizam a implementação desse tipo de serviço.

O documento elenca os motivos, dentre eles, a falta de garantia para o custeio, a dificuldade em se estabelecer o rateio entre os consorciados e a inviabilidade técnica de manutenção do equipamento em virtude das oscilações de demanda e produção.

O ofício alega ainda que “a centralização dos serviços dessa natureza está na contramão da administração moderna, em razão de não ser um serviço finalístico dos municípios”.

Durante o encontro, Galileu Machado reforçou que, com a diminuição do período de chuvas, o serviço de tapa-buracos está sendo intensificado em Divinópolis. Além disso, dentro de alguns dias, acontecerá a licitação que prevê investimentos da ordem de R$ 40 milhões em infraestrutura na cidade, principalmente o recapeamento de ruas.

— Com isso, vamos resolver o problema do asfalto velho que hoje está nas principais vias, com um custo muito mais baixo do que se tivesse que fazer isso com essa usina — salientou o líder do Executivo.

Comentários
×