Prefeito eleito, Gleidson comenta onda vermelha: "A vida não tem preço"

Ele ainda afirmou que manterá o decreto em vigor até a próxima deliberação do comitê responsável.

Da Redação

Após a Prefeitura de Divinópolis anunciar a volta da cidade para a onda vermelha a partir deste sábado, 2, o prefeito eleito, Gleidson Azevedo (PSC), publicou um vídeo em suas redes sociais ao lado de sua vice, Janete Aparecida (PSC), e o futuro secretário de Saúde (Semusa), Alan Rodrigo da Silva. Na legenda, ele escreveu que, apesar de ainda não ser o chefe do Executivo, entende "a necessidade de Divinópolis aderir à onda vermelha para resguardar vidas". Ele ainda afirmou que manterá o decreto em vigor até a próxima deliberação do comitê responsável.

 — A situação é séria. (...) Eu sempre falei que a gente tinha que conviver com o vírus. Agora eu, como governante dessa cidade, tenho que priorizar as vidas e o comércio aberto, mas principalmente a vida porque ela não tem preço — afirmou Gleidson.

Ele pediu a colaboração dos moradores para que, após a próxima semana, o município possa avançar de onda.

— Vamos ter consciência para que, no ano que vem, a gente possa comemorar o ano inteiro. (...) Amor ao próximo neste fim de semana para que o comércio, daqui a uma semana, volte a funcionar — solicitou.

O prefeito também pediu paciência e consciência.

Atual superintendente regional de Saúde em Divinópolis e futuro secretário de saúde, Alan Rodrigo da Silva, citou que dez leitos foram reabertos no Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) e, em 24h, 50% já estavam ocupados.

— A situação tem se agravado nas últimas semanas. (...) A gente vai tentar todas as estratégias possíveis. Vamos lutar por todas as vidas. Assistencialmente, estamos preparados, mas a população precisa entender seu papel — comentou.

Ele também chamou a atenção dos "inconsequentes" que promovem aglomerações.

— Eles estão levando a doença para suas casas — argumentou.

Por fim, a vice-prefeita eleita, Janete, falou sobre a importância de manter os cuidados de prevenção ao vírus.

— Neste momento a gente tem que resguardar a vida da população e o começa com a gente dando o exemplo. (...) Não temos o que comemorar, temos que trabalhar — finalizou.

Assista ao vídeo completo: 

Comentários
×