Preços estáveis na alimentação fora de casa

Valor médio reflete os gastos com uma refeição completa

 

 

Jorge Guimarães 

Depois da super safra de grãos, as baixas dos hortifrutis e a estabilização do preço da carne, o custo com alimentação fora de casa ficou estável no mês passado. Denominador comum em que chegou a pesquisa realizada, no período de 5 a 15 de julho em 20 restaurantes, pelo Núcleo de Pesquisa Econômicas (Nupec) da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis de Divinópolis (Faced).

Foram avaliados na pesquisa, os valores médios pagos pelas refeições em estabelecimentos comerciais que trabalham com, pelo menos, uma das opções entre o prato feito, o self-service e a comida sem balança. Sendo que o valor médio reflete os gastos com uma refeição completa, composta por prato principal.

Self Service 

Depois de iniciar o ano com o preço médio de R$ 44,93, o preço da comida no self service vem caindo e em março estava a R$ 39,82. Já em maio, teve um ligeiro acréscimo e passou a R$ 40,03, preço que vem oscilando nos dois últimos meses no qual em junho R$ 40,27 e fechou julho com média de preço de R$ 40,59. No fechamento global de preços, o mínimo encontrado foi de R$ 27,90, o médio de R$ 40,49 e o máximo R$ 49,90.

Sem balança 

Depois de o preço ficar estável quatro meses seguidos, com uma média de preço a R$ 9,97 a “comida sem balança” subiu em junho para R$ 10,95, mas voltou a cair no mês passado e fechou com a mesma média de antes, ou seja, R$ 9,97. No geral, a pesquisa aponta que o preço mínimo pesquisado foi de R$ 6 com média de R$ 9,97 e o preço Maximo chegando a R$ 15,90.

 PF 

Seguindo a estabilidade da “comida sem balança” o tradicional “prato feito”, o PF, se mantém com o preço estável por dois meses consecutivos e fechou o mês passado com o preço médio de R$ 11,98. Na apuração, o preço mínimo foi de R$ 8, o médio de R$ 11,98 e o preço máximo chegou a R$ 18. 

 

Comentários
×