Preços de hortigranjeiros diminuem 17,5% em julho

 

Jorge Guimarães

O setor dos hortigranjeiros, que inclui frutas, hortaliças e ovos, ficou, em média, 17,5% mais barato em julho no comparativo com junho, no atacado do entreposto de Contagem da CeasaMinas. Em razão principalmente de boas condições climáticas, houve um aumento de 14,8% na oferta, o que ajuda a explicar a redução do preço. Também contribuíram para deixar os hortigranjeiros mais em conta em julho o período de férias escolares e os preços mais altos de junho, em consequência da greve dos caminhoneiros.

Demanda

De acordo com o chefe da Seção de Informações de Mercado da CeasaMinas, Ricardo Fernandes Martins, as férias escolares tradicionalmente acabam reduzindo a demanda, o que favorece a diminuição do preço médio. Já a greve dos caminheiros, encerrada no fim de maio, causou problemas na regularização da oferta em junho, pressionando o preço de vários produtos.

Hortaliças

O grupo das hortaliças, que inclui legumes e verduras, ficou, em média, 21,9% mais barato em julho, com destaque para cebola amarela -54,2%; beterraba -40,1%; moranga híbrida -29,2%; repolho -27,5%; batata lisa -25%; tomate longa vida -22%; inhame -14,8%; cenoura -12,1% e mandioca -11,8%.

Poucas hortaliças apresentaram altas no mês, sendo as mais representativas as do chuchu 19,3%; alho brasileiro 10,8% e milho verde 4,7%. Vale lembrar que a participação do alho brasileiro na oferta, frente às variedades importadas, vem aumentando no atacado, o que tem levado a uma redução de preços desde o fim de julho.

Frutas

O grupo das frutas ficou 13,3% mais barato no mês passado, com destaque para o mamão havaí -43,8%; banana-prata -33,5%; melancia -22,3%; limão tahiti            -18,5%; banana-nanica -16,7%; laranja-pêra -16,1% e tangerina ponkan -2,3%.

Já entre as frutas que ficaram mais caras, estão exemplos de produtos próximos ao fim de safra ou que enfrentaram problemas climáticos. As principais altas foram da uva niágara 6,7%; mamão formosa 5,4%; abacate 5,1% e maçã brasileira 0,7%.

Ovos

Os ovos, por sua vez, ficaram 16,1% mais baratos em julho, influenciados, sobretudo pelo aumento de 7,1% no volume da mercadoria. Em lojas de supermercados na cidade, o preço da dúzia chegou a ser vendida a R$ 5,99 e ainda hoje está com preço atrativo e sendo comercializada a R$ 8,69.   

Mercado

Com a volta do abastecimento a sua normalidade após a greve dos caminhoneiros, o mercado voltou a seguir a lei da oferta e da procura. Em Divinópolis numa rede de supermercados, no início do mês, a batata chegou a ser comercializada a R$ 0,39, na promoção. Hoje, os preços se equivalem a média dos primeiros meses do ano com a batata sendo vendida a R$ 0,99 e a cebola branca a R$ 1,79.

Nas furtas, destaque para limão thaiti, banana maça Kg, couve flor e abacaxi que a unidade sai a R$ 2,99.

— Estou aproveitando os preços que estão ótimos em comparação aos de alguns dias atrás — disse a aposentada Marlene Dias.

 

Comentários
×