Preços da carne e hortifrutis seguem em alta

Da Redação

A cesta básica em Divinópolis apresentou uma variação positiva de 0,16% entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021. Já relação apenas ao mês passado ficou em R$ 451,97, mantendo um valor bem próximo ao registrado em dezembro de 2020, equivalendo a 43,5% do salário mínimo.

Os dados são do Boletim Econômico elaborado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicos Sociais (Nepes) do Centro Universitário (UNA), Unidade Divinópolis

Hortifrutis

E se depender dos preços observados desde o início do mês, fevereiro não será muito diferente de janeiro, em relação aos preços dos hortifrutis, segundo levantou o Portal Agora. Exemplo clássico e muitas vezes considerado o vilão das altas inflações, o preço do tomate em uma loja de rede de supermercados é vendido a R$ 4,99, mesmo preço do pimentão verde, chuchu, cara dedo e da batata. Em outros estabelecimentos do ramo, o quilo é vendido até a R$ 7.

A batata doce e berinjela custam R$ 4,49. Já a cebola, beterraba e o pepino saiam por R$ 3,99 o quilo. Até a cenoura vermelha, que há poucos dias era comercializada a R$ 1,99, agora está a R$ 2,99.

— A redução de oferta é a causa primordial que rege a lei de mercado. Mas, a tendência é que os preços se mantenham até o próximo mês, mas como temos um grande mix de fornecedores, nossas opções de promoções nos hortifrutis ficam muito livre de escolha — avaliou o gerente de uma das lojas, Walter Wagner.

Carne

O tradicional churrasco de fim de semana está mais salgado ao longo dos dois últimos meses. E para não ficar sem reunir a família e amigos, muitos substituem o boi por frango.

— Aqui em casa o churrasco continua, mas com mais variações. A asinha de frango e a linguiça ganharam espaço de destaque em nosso cardápio — disse a dona de casa Ebe Vasconcelos.

Preços

A reportagem conversou com o proprietário de tradicional casa de carnes na cidade que trouxe uma notícia boa para consumidor.

 — Nos próximos meses a tendência é não ter aumento —revelou.

— Do ano passado para cá, a carne teve um aumento em tornos dos seus 60%, 70%. Para se ter uma ideia, a que antes custava R$ 15, hoje é R$ 25, de R$ 20 passou 30. Hoje, por exemplo, a nossa chã de fora está R$ 26,90 a de dentro a R$ 31,90, contra-filé R$ 39,90, carnes de segunda em geral, como músculo, maçã de peito, charneiro, todas estão a R$ 24,99, o quilo — detalhou o empresário Kilderson Neylon de Oliveira.

 

Comentários
×