Preço material escolar se mantém estável

Jorge Guimarães

Início de ano é sinônimo das tradicionais despesas como o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) e a também tradicional lista de material escolar. Para quem não se preparou para quitar os compromissos, no caso dos impostos, o parcelamento será a única saída. Já para a compra de materiais escolares a dica é fazer muita pesquisa, pois, segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (Abfiae), os itens tiveram aumento em torno dos 8%. Mas a elevação é para os produtos que são importados, como estojo de lápis de cor, mochilas e outros que têm o dólar agregado ao seu valor final.   

Sem aumento

Mesmo com a afirmação da Abfiae de que os materiais escolares tiveram alta, para o empresário Vantuir José dos Santos, sócio proprietário de duas papelarias na cidade e há 23 anos no ramo, os preços se mantiveram em alguns itens e outros até reduziram, como é o caso do papel A4.

— Os reajustes foram ao longo ao ano. E, como já faço os pedidos desde agosto, estou trabalhando com o preço sem alteração. Para poder manter o valor, o primeiro passo é ainda na realização da compra, e, para isso, tem que ter bons fornecedores e estar por dentro dos lançamentos do segmento. Para tanto, frequentar feiras é um item imprescindível para realizar boas compras. Hoje estou com papel A4 mais barato que no mesmo período do ano passado — afirma o empresário.

Pesquisar

A comerciante Kátia Teixeira fazia uma pesquisa para poder finalizar a lista de suas duas filhas que estão no ensino médio.

— Sempre começo a pesquisar a partir de dezembro, e alguns itens entram, às vezes, até como presente de Natal. Até nas lojas de supermercados eu vou, pois lá também costumo encontrar bons preços — detalha.

Comentários
×