Preço do diesel sobe

Aumento pode influenciar nos custos de outros itens

Jorge Guimarães

A Petrobras elevou o preço do diesel, em suas refinarias, em 3%, desde o último sábado, 21. Esta foi o terceiro acréscimo em quase dois meses, o último foi no início deste mês, no dia 4 de dezembro. O reajuste acompanha as cotações internacionais e pode trazer aumentos em cascatas em diversos itens, como fretes e principalmente nos alimentos.

Preço

Em pesquisa realizada na última semana, em dez postos de combustível em Divinópolis, a Agência Nacional de Petróleo (ANP) registrou o preço médio praticado em R$ 3,71, o mais baixo em R$ 3,66 e o mais alto ficou em R$ 3,79. Na região, o custo médio mais baixo foi verificado em Divinópolis e o mais alto em Pará de Minas, com R$ 3,89. Na região metropolitana de Belo Horizonte, o menor valor médio foi encontrado em Contagem, com R$ 3,63.

Frete

O aumento do diesel pode levar novamente ao entrave entre caminhoneiros e o governo. Para o empresário do setor de alimentação Paulo Roberto Santos, o aumento vai, sim, ocasionar aumentos nos preços do segmento.

Principalmente nos hortifrútis e frutas. Pois o transporte da maioria desses itens é feito via caminhão. Assim, já vou começar as pesquisas de preços antes que o aumento chegue às bombas e ao consumidor. Ou mesmo buscar a opção de comprar direto do pequeno produtor, que, com certeza, terá um preço mais em conta, sem atravessadores. Quanto a mudar o cardápio, no momento não vejo necessidade, pois os itens como arroz e feijão, ainda estão com preços equilibrados e temos em estoque — afirma o empresário.

Comentários
×