Preço de hortigranjeiros se recupera em setembro

 

Jorge Guimarães

O grupo dos hortigranjeiros, que inclui hortaliças, frutas e ovos, apresentou alta de 6% no preço médio entre setembro e agosto, segundo dados do entreposto de Contagem da CeasaMinas. O aumento, entretanto, pode ser visto como uma recuperação de preços, uma vez que vários produtos encontravam-se com valores muito baixos nos últimos meses.

Preços

Em Divinópolis, a alta também foi sentida, mas já era esperada pelos comerciantes. Para as redes de supermercados, que têm um mix muito grande de produtos e diversos fornecedores, fica mais fácil controlar os aumentos.

— Ainda estamos com várias ofertas semanais e vamos prosseguir com nossa metodologia de mercado. Nossos clientes sempre em primeiro lugar — avaliou o gerente de uma loja de supermercados, André de Oliveira.

Ontem, a abóbora híbrida inteira, bem como a melancia e a cebola branca, estavam a R$ 0,99, o quilo. Já o melão amarelo, banana caturra e prata eram comercializados a R$ 1,89. Uma dúzia e meia de ovos saia a R$ 7,79.  

Entressafra

Também contribuiu para a oscilação, o início da entressafra de determinados alimentos, o que reduziu a oferta deles no mercado. Mesmo com o aumento no preço médio do grupo, o consumidor ainda pode encontrar várias opções para fazer economia na hora de comprar hortigranjeiros.

Altas

No setor das hortaliças (legumes e verduras), a alta no preço médio foi de 2,9%, influenciada principalmente pelas variações do chuchu, 50,7%; pepino, 48,1%; berinjela, 34,7%; repolho, 25,9%; inhame, 20,6% e batata, 11%.

Entre os fatores que contribuíram para alguns desses aumentos estão as temperaturas mais baixas em regiões produtoras, o que diminuiu a oferta e pressionou os preços.

Alguns desses produtos, apesar das altas, continuam boas opções de economia, a exemplo do repolho, batata, mandioca e cenoura.

Queda

Das hortaliças que apresentaram quedas de preços, destacaram-se o quiabo, -20,9%; cebola, -18,7%; alface, -11,6%; milho verde, -6,9%; beterraba, -1% e tomate, -0,9%, estando todos em situação favorável ao comprador.

Frutas

No setor das frutas, o aumento do preço médio foi de 9,2%. Uma das causas é a alta da demanda, muito comum no mercado de frutas com a chegada do calor. Foram destaques das altas, o limão tahiti, 74,1%; mamão formosa, 31,9%; tangerina ponkan, 28,1%; banana nanica, 23,7%; melancia 23,7%; goiaba, 16,3% e laranja pêra, 5,2%.

Entre as frutas com reduções de preços, estão o morango, -9,1%; manga, -2,6% e o abacate, -0,9%, todos com situação favorável ao consumidor. Merecem ser destacadas também algumas mercadorias que, mesmo não apresentando quedas de preços, constituem boas dicas de economia.

Ovos

Já o setor de ovos manteve os preços baixos, em consequência, principalmente, da grande oferta no entreposto de Contagem.

 

 

Comentários
×