Preço de frutas está em baixa

Jorge Guimarães  

Com o Natal e o Ano Novo se aproximando, é hora de definir o cardápio das ceias de fim de ano. As frutas surgem como grandes aliadas, não só no preparo das sobremesas, mas também nos assados, tanto em recheios quanto em molhos agridoces. E para surpresa de todos, os preços de algumas frutas natalinas já começaram a cair, entre as quais o pêssego, 54% mais barato, a ameixa 20 %, entre outras. E vale lembrar que a ceia deste ano pode ser encorpada se o consumidor souber realizar uma pesquisa de preços antes de efetuar as compras. Ontem em uma loja de rede de supermercados o quilo do pêssego era comercializado a R$ 4,99, a maçã e o melão inteiro estavam a R$ 2,99, manga saía ao preço de R$ 1,79, melancia inteira a R$ 0,99, sem falar nas avelãs a R$ 10,90 e pistache a R$ 12,90. Como se vê, com todos estes itens, da para se fazer diversas opções de pratos para as festas de fim de ano.  

— Em nossas reuniões de famílias não pode faltar frutas. Elas, além de enfeitar os pratos e as mesas, dão um toque todo especial na comida. E este ano, os preços estão mais em conta e quem agradece é a nossa saúde — disse a dona de casa Heloisa Avelar.   

Queda  

Citando outros itens do dia a dia, o tomate era comercializado a R$ 1,59, a beterraba R$ 1,79, cenoura R$ 1,29, entre outros. Demonstrando assim que os primeiros 20 dias de novembro revelaram que o momento está favorável para o consumidor, principalmente na maioria dos hortigranjeiros. O preço médio das frutas ficou 5,1% menor e o das hortaliças, legumes e verduras, 7% inferior, em relação ao mesmo período de outubro. De modo geral, a melhoria da quantidade ofertada foi o principal fator responsável pelas reduções de preços. 

Entre os produtos com as maiores quedas de preços, está o chuchu -38 %, cuja oferta passou por recuperação, após problemas climáticos que pressionaram o valor do produto em outubro. Também mereceram destaque na pesquisa, a beterraba -24 %; melancia -19 %; banana prata -16 % e tomate longa vida -6 %. 

Vale destacar que o limão tahiti, apesar de ficar 25,1% mais barato no período, ainda não se encontra na melhor época para o consumidor. A safra da fruta concentra-se entre dezembro e junho, quando os preços são mais baixos. 

Altas 

Entre as altas, o destaque é o abacate 58 %, que está em plena entressafra. A situação somente deverá se normalizar a partir de fevereiro, quando aumenta a oferta da fruta, com prolongamento da safra até setembro. 

Dicas 

Além dos produtos que apresentaram queda de preço, vale aproveitar ainda outras dicas de consumo, a exemplo da berinjela, milho verde, moranga híbrida, batata, cebola, abacaxi, banana nanica, manga, morango e pêssego. 

 

Comentários
×