Preço de comer fora de casa tem leve aumento em Divinópolis

 

Jorge Guimarães

 Está mais caro comer fora de casa. É o que revela pesquisa do Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nupec), ligado à Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis de Divinópolis (Faced).  

A pesquisa de custos com alimentação fora de casa da cidade de Divinópolis foi realizada no período de 5 a 15 de março em 20 restaurantes.

Foram avaliados os valores médios pagos pelas refeições em estabelecimentos comerciais que trabalham com, pelo menos, uma das opções como o prato feito, self-service e comida sem balança.

 Números 

O valor médio reflete os gastos com uma refeição completa, composta por prato principal. O tradicional prato feito (PF) teve um preço médio de R$ 12,48; na comida sem balança, a marca ficou em R$ 12,83; e no self-service, o preço médio ficou em R$ 41,33.

Em relação aos preços praticados em fevereiro, a maior alta ficou por conta do self-service, com aumento de 2,25%. A comida sem balança não teve aumento; o preço ficou estável. Já o PF teve uma pequena elevação e ficou 0,20% mais caro.    

 Material de construção

 

O Nupec pesquisou, também no mês de março, 16 estabelecimentos que comercializam materiais básicos de construção.

Os itens pesquisados foram: cal, cimento, preço do metro cúbico da área, preço do metro cúbico da brita e tijolo cerâmico com oito furos.

Os itens que registraram as maiores variações de preços entre os depósitos de construção da cidade foram: tijolo 8 furos (70%), areia grossa (62%) e brita (102%).

A brita (6,49%), o cimento (2,96%) e a areia fina (1,94%) foram os materiais que demonstraram os maiores preços em relação ao mês de fevereiro.

 

Comentários
×