Preço da carne bovina em queda

 

Jorge Guimarães

Depois de deflagrada pela Policia Federal, a operação “Carne Fraca” que colocou em xeque a qualidade da carne brasileira, foi ligado o sinal de alerta em muitos consumidores brasileiros. Se de um lado veio a desconfiança de outro, um certo alívio no bolso, pois com a queda nas exportações, o mercado interno foi o favorecido. Assim, o brasileiro continuou a comprar carne com desconfiança da qualidade, mas levando. E nos supermercados da cidade, a carne é ainda presença certa em muitos carrinhos, levando em consideração, principalmente porque alguns cortes tiveram redução de preço ao longo do ano, especialmente, as consideradas de primeira como a chã de dentro.

Consumo

 O dono de uma lanchonete, Elias Costa, sempre deu preferência por comprar em açougues de confiança, mas em certas ocasiões recorre aos supermercados, motivado pelas promoções semanais.

— Ainda fico com o pé atrás, qualquer alteração na coloração já não levo. E além do preço é claro, me preocupo em verificar o modo como está sendo moída — avalia o

microempresário.

O subgerente de uma loja de supermercados da cidade, André de Oliveira fala sobre os cuidados extras tomados pela rede.

— Nosso movimento continua o mesmo, não houve alteração em relação aos ocorridos no início do ano. Temos um veterinário, o profissional que confere toda mercadoria que chega. Quanto aos preços, estão equiparados ao longo do ano, e alguns cortes tiveram quedas sazonais. Já nossa carne suína é comprada diretamente do criador, sendo desossada em nossas câmeras frigoríficas para garantir maior qualidade — contou.   

Baixa

Como a operação afetou diretamente as exportações da carne, o mercado interno registrou um equilíbrio de preços no decorrer do ano, o que deve se manter até o encerramento de 2017.

— Se tudo ocorrer dentro do previsto, os preços devem ser mantidos, mas não podemos prever, pois o mercado é sempre uma incógnita — explicou André de Oliveira.

Para o almoxarife Douglas Pereira, os fatos não mudaram em nada o seu hábito de comer carne, ainda mais que neste momento, a tendência dos preços é permanecer estáveis.

— Se a gente consumia, imagine agora que os preços tiveram uma ligeira queda. Vou aproveitar os preços e levar um pouco a mais e congelar, pois o fim do ano está chegando —argumenta.

Preços

Em uma loja de supermercados, ontem à tarde, o consumidor encontrava o quilo do acém sendo vendido a R$ 12,90 e da chã de dentro a R$ 16,90, a capa de chã era vendida a R$ 9,90 e a fraldinha a R$ 13,90. Já a linguiça de churrasco saia a R$ 9,90, a alcatra a R$ 22,90 e contra filé R$ 23,90.

 

  

Comentários
×