Pré-candidatos apostam na economia para aumentar capacidade de investimento

Matheus Augusto

As eleições municipais ainda são uma incógnita neste ano. A mudança de data é provável, mas as votações, segundo declarou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, nesta semana à Agência Brasil, devem ser realizadas ainda em 2020. O que não é um enigma é a movimentação nos bastidores de pré-candidatos. Ao menos sete candidaturas para a Prefeitura de Divinópolis são dadas como certas, com a participação de três mulheres na corrida eleitoral.

O Agora ouviu uma das primeiras chapas a ser oficializada, apesar ainda de não estar definido quem será o prefeito e quem será o vice: o empresário Fernando Malta (PSL) e ex-vereador Sargento Elton. Esta decisão de quem será cabeça de chapa, eles consideram apenas um detalhe. Afirmam que vão definir apenas nas convenções, marcadas para o próximo mês.

Perfil

Fernando Malta contou à reportagem que tinha o interesse de concorrer para o cargo em 2016, mas, por alguns embaraços, deixou a ideia de lado. Neste ano, porém, a intenção voltou e ele decidiu entrar na vida pública. A aliança com Sargento Elton é uma união não apenas política, mas de ideias compartilhadas ao longo dos anos, como durante a campanha em prol da eleição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

— É o encontro de duas posturas que sempre atuam em prol da moralização deste país. A gente já vem trabalhando de longas datas levando a campanha do presidente, fomos parceiros na gestão passada e continuamos conversando e percebemos que nossas ideias têm um funil que é a moralização, o respeito à família, a vontade de crescimento e de melhorar a situação dessa população sofrida. Nós cruzamos nossas ideias e resolvemos nos unir para fortalecer — contou.

Para Elton, a aliança também significa economia para a cidade. 

— Nosso vice, seja eu ou o Fernando, assumirá uma secretaria, vai ter o vice porque é previsto em lei, mas ele vai assumir uma secretaria e economizar de cara o salário de um secretário — afirmou.

Pós-graduado em gestão e especialista em segurança pública, o ex-vereador se diz preparado para assumir a Secretaria de Trânsito, Transporte e Segurança Pública (Settrans). Elton ainda, ao classificar Malta como um empresário de sucesso, sugere que o colega de chapa possa assumir a Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Lembram que não se trata de promessas, são apenas planos, visto que o que existe é apenas uma pré-candidatura. 

As candidaturas só serão efetivadas em agosto, quando é permitido por lei eleitoral.

Objetivos

Ambos declararam ainda que possuem independência financeira e, por isso, “não estão entrando na disputa por dinheiro”. O empresário Fernando Malta cita como meta a retomada do desenvolvimento econômico na cidade. 

— Nós optamos por fazer um trabalho em busca de voltar a ter aquela cidade progressista, onde existia crescimento, em que as pessoas se sentiam felizes em viver nela. Divinópolis era considerada a “Princesinha do Oeste” e, infelizmente, hoje está abandonada, acabada em todos os sentidos. A segurança deixa a desejar, a cidade toda arrebentada, a cada dia mais empresas fecham… Sabemos das dificuldades em nível nacional, mas também sabemos do formato que o pessoal exerce na gestão local. A verdade é que faltam pessoas com conhecimento de administração e com compromisso com a sociedade, com a população — avalia.

Para alavancar a economia da cidade, ele cita como uma das prioridades a redução de servidores dentro da Prefeitura e a seleção de profissionais “ficha limpa, com compromisso com a população”, para alcançar a “moralização do serviço público”.

— Temos cerca de 250 cargos comissionados atualmente. É um absurdo esse tipo de política. Essa história de pessoas entrarem na política para se servirem é totalmente equivocada do nosso ponto de vista. Nós que temos que servir nossa cidade, o povo — ressalta.

Por fim, ele espera, caso seja eleito, ao longo de sua gestão, retomar o desenvolvimento econômico.

— Traremos para Divinópolis aquele título de cidade progressista de “Princesinha do Oeste” e vamos trabalhar com muito afinco para que a gente possa trazer um pouco de alegria para essa população tão sofrida — pontua o empresário.

Saída temporária

Apesar de ter deixado a Câmara, Sargento Elton não abandonou a vida pública. Em abril deste ano, ele formalizou seu pedido de renúncia ao cargo de vereador. Após o breve afastamento da política, Elton anunciou a parceria com Fernando Malta. Sua saída, alega o pré-candidato à Prefeitura, se deu pelo desgaste à saúde causado pela sensação de impotência no Legislativo.

— Eu saí porque cheguei a um ponto onde eu estava ficando muito estressado na Câmara, com frustrações devido aos projetos de moralidade não serem aprovados. Em três anos e meio não foi aprovado nenhum projeto de moralidade que a gente colocava em votação, como a exigência de curso superior e ficha limpa para os secretários que, pasmem, não passou. Além disso, não me deixaram cumprir meu papel de fiscalizador, me negando auditorias na Prefeitura para saber por que chegamos nessa calamidade financeira. (...) eu não vou receber dinheiro público sem oferecer um trabalho que não vai ser aprovado — explicou sobre sua decisão.

Negada como vereador, ele se comprometeu a realizar uma auditoria caso seja eleito, com a finalidade de identificar improbidades administrativas em gestões anteriores. Comprovadas, ele garante o encaminhamento das provas ao Ministério Público (MP) para o ressarcimento aos cofres públicos e a aplicação das punições previstas em lei.

Apesar das dificuldades, ele também celebra suas conquistas, como o projeto responsável por reduzir o número de tentativas de explosão de caixas eletrônicos. Após uma “revisão espiritual com Deus”, ele se diz preparado para retomar os trabalhos.

— Nossas metas principais são romper com todo esse coronelismo político que impede a cidade de se desenvolver há mais de 25 anos — afirmou.

Eleito, ele promete trabalhar para “Divinópolis voltar aos trilhos”. Para alcançar esse objetivo, diz ter em mente algumas propostas.

— Como metas temos o fim do toma lá da Câmara com a Prefeitura. É imoral, atrapalha os dois poderes, Legislativo e Executivo, e coloca pessoas sem a mínima capacidade de trabalhar na Prefeitura — citou.

O ex-vereador ainda se disse favorável ao fim do que chamou de cultura do apadrinhamento de cargo no Executivo e o loteamento de cargos e secretarias. Ele pretende selecionar pessoas qualificadas para trabalhar em sua Administração, assim como exigir curso superior das respectivas áreas de atuação dos secretários.

Outra meta, detalhou Elton, é reduzir o número de pastas de 17 para dez.

— Diminuir 70% dos cargos comissionados possibilita uma economia muito grande por mês — declarou.

Revisão

Para otimizar os recursos da Prefeitura, Sargento Elton afirma que passar a limpo os contratos firmados com empresas de prestação de serviços e outros é uma das formas. Como exemplo, ele cita o tratamento de água e esgoto realizado pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa).

— Eu fui o presidente da CPI e tem várias irregularidades, é preciso rever todos os contratos e acabar com essa palhaçada — destacou.

Outra ideia é o rompimento de determinados acordos de locação de repartições públicas. Elton classifica, por exemplo, a existência de duas sedes da Prefeitura e da Câmara como um absurdo, afirmando que é preciso pôr fim a essa realidade para aumentar a economia nos cofres públicos.

Impulsionar

Estruturalmente, o ex-vereador aponta que, com o recurso economizado, é possível para se investir em bairros abandonados pelo poder público.

— Está na hora desses bairros, que estão há 40, 50, 60 anos sem esgoto e saneamento básico, pavimentação, serem prioridade — afirma.

O objetivo, segundo ele, é oferecer melhores condições de vida aos moradores.

Segurança

Além de valorizar os empreendedores, Sargento diz que, assim como Malta, pensa em proteger Divinópolis de críticas de gestores de cidades vizinhas, como Nova Serrana e Lavras. Outra meta é atrair empresas por meio da valorização da segurança pública.

— O objetivo é atrair empresas, reforçando a segurança com a guarda municipal e o portal de segurança, atraindo a confiabilidade para geração de empregos — frisou.

Mesmo com a expectativa de recursos economizados, Elton diz ser preciso buscar recursos federais para investir em saúde, infraestrutura, segurança e educação, trazendo para Divinópolis, inclusive, “uma ou duas escolas cívico-militares” destinadas ao público civil.

Elton também destaca a necessidade de investimentos no turismo, garantindo a segurança daqueles que desejarem conhecer a Cruz de Todos os Povos (ainda em processo de construção) e firmando parcerias para impulsionar a chegada de clientes na região dos shoppings. 

— Grandes projetos para atrair grandes investimentos, é isso que a cidade precisa — finalizou.

Comentários
×