Pra valer

Pra valer

Incrível a constatação de que as pretensões para 2020 começaram para valer. As eleições para o Conselho Tutelar, marcadas para o próximo domingo, confirmam esta realidade. E a disputa promete, pelos menos se depender de denominações religiosas. O comando no País de uma das religiões evangélicas envolvidas no processo, a Igreja Universal do Reino de Deus, publicou em 15 de setembro em seu site um artigo intitulado "Conselho Tutelar: é nosso dever participar". O texto exorta os fiéis a votar em candidatos "que, acima de tudo, tenham compromisso com Deus". Na verdade, mais com a igreja e a política. É espantoso como as pessoas veem oportunidade de algum ganho em tudo.

Travar

E o avanço evangélico nestes cargos tem crescido tanto que, em agosto, a coordenadora arquidiocesana da Pastoral do Menor em São Paulo, Sueli Camargo, conclama os católicos a participarem da eleição para frear o avanço evangélico nos conselhos. Se os católicos atenderam ao chamado, não se sabe. O fato comprovado é que cada vez mais os evangélicos estão presentes não somente em cargos, como nos conselhos, mas em diversos campos da política. Fica a pergunta: ousadia de uma ou inabilidade da outra?

MP na área

O Ministério Público (MP) está apurando a instalação do ar-condicionado no Santuário de Santo Antônio. A umidade está danificando a pintura. A denúncia foi feita pelo ex-secretário de Cultura, Osvaldo André de Mello, quando ainda ocupava a pasta. O aparelho foi instalado pela igreja, segundo a denúncia, sem apresentar projeto ao órgão responsável, neste caso a Secretaria de Cultura. Quando ainda era presidente do Conselho do Patrimônio Histórico e Cultural de Divinópolis (Iphan), a jornalista Sonia Terra chegou a ir ao templo solicitar, mas este não foi apresentado.

Tombado

A preocupação do MP com a pintura rica em detalhes do artista holandês Frei Humberto Randag, OFM, se justifica. O trabalho foi feito em 1949, quando Divinópolis celebrou 25 anos da presença franciscana na cidade e também o fim da construção do Santuário, que durou mais de duas décadas. Além disso, o Santuário faz parte dos bens tombados na cidade. Outros oito, como o Museu Histórico e a Maria Fumaça do bairro Esplanada, são reconhecidos pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iepha-MG). Cada um guarda histórias lindas da cidade, como o Museu, que, infelizmente ainda não tem data para ser reaberto.

Baixa

Uma pena nisso tudo é Divinópolis recebeu uma pontuação baixa, de apenas 0,65, na avaliação do ICMS Cultural em 2019. Com base na nesta pontuação é que se destina verbas destinadas ao ICMS Cultural da cidade. Nesse ano, a cidade receberá somente cerca de R$ 10 mil para serem investidos na área em 2020. Uma pena, porém, pelo menos, por meio desta atuação do MP e o trabalho que vem sendo feito pelo secretário de Cultura, Gustavo Mendes, a população constata que os órgãos competentes não estão de braços cruzados.

Bola cheia

E ainda no campo do MP, o recém-empossado procurador-geral da República, Augusto Aras, disse ontem que "não há poder do Estado que esteja imune ao órgão”, e que deve priorizar o combate “intransigente à corrupção”. Antes, ele afirmou que o “Ministério Público recebeu da Assembleia Nacional Constituinte a missão de ser um dos vetores da nacionalidade, permeando sua atuação junto a todos os poderes e setores da sociedade”. “Não há poder do Estado que esteja imune à ação do Ministério Público.” Que assim seja! Como não poderia ser diferente, entre as operações de combate à corrupção, a Lava Jato foi o destaque. E que, a começar por ela, todas as ações sejam isentas e visem diretamente benefícios aos mais sofridos, ou seja, o povo.

Comentários
×