População aposta nas colinhas para votar

 

Maria Tereza Oliveira

Faltando quatro dias para as eleições, muitas pessoas ainda estão confusas em relação a como votar, quantos candidatos devem eleger, dentre outras coisas. São muitos números para decorar e diversas funções para eleger.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o Brasil é um país de extensão continental, a realização de eleição implica mobilização de vários setores da sociedade e despesas significativas por parte da Justiça Eleitoral.

— Este é o motivo pelo qual a legislação de regência concentrou em um só pleito a escolha de candidatos para vários cargos na disputa dos pleitos gerais — justifica.

Povo fala

O Agora foi às ruas para saber se as pessoas estão cientes de quantos e quais cargos devem votar, além da ordem de votação e táticas para não esquecer os números dos candidatos.

O auxiliar de serviços gerais, Edson Luis Alves Nogueira, achava que precisaria votar em cinco candidatos e foi surpreendido ao descobrir que precisa escolher dois senadores.

Ele acredita que a quantidade de cargos eletivos está na medida certa.

— Daria confusão se também precisássemos escolher vereadores e prefeitos na mesma eleição.

Edson contou ficar um tanto quanto desordenado em relação aos números, mas afirma que tem uma tática para a votação.

— Para não me esquecer dos números dos candidatos eu levo sempre uma colinha — aconselha.

A aposentada Maria das Graças Silva mostrou saber a quantidade correta, além da ordem certa da votação, mas acha que são muitos números para decorar.

— Eu levo sempre um papelzinho com o nome e número de cada candidato que quero eleger, mas ainda assim, são muitos cargos — opinou.

Entretanto, ela acha que o povo tem de estar esperto para saber votar.

— Fazer eleição gera muitos gastos então não é viável dividir em dois pleitos. O jeito é não desgrudar da colinha — explicou.

Como votar

No próximo dia 7 é preciso estar atento à ordem de votação. Embora seja um processo consideravelmente fácil, principalmente se comparado com a votação em cédulas, é importante manter a concentração para não votar errado.

Para iniciar a votação é preciso escolher o deputado federal. Este cargo tem quatro dígitos. Basta digitar o número correspondente a ele (0000, por exemplo), e, após conferir o nome e a foto, é só apertar a tecla verde para confirmar.

Logo em seguida vem o deputado estadual, representado por cinco dígitos. Para votar, basta digitar o número do candidato (00000, por exemplo), observar o nome e a foto e apertar o verde para confirmar.

A terceira e quarta etapas correspondem aos senadores, representados por três dígitos. Neste pleito, os eleitores elegem dois candidatos. Assim como nas etapas anteriores, basta digitar o número correspondente a cada um deles, e, após conferir o nome e a foto, é só apertar a tecla verde para confirmar. Vale lembrar que cada candidato deve ser votado separadamente e cada um tem o direito a um voto por pessoa, ou seja, se alguém votar duas vezes no mesmo senador será contabilizado um voto e o outro será anulado.

Em seguida é a vez de escolher o governador, que é representado por dois dígitos. Basta digitar o número (00, por exemplo) conferir a foto, além dos nomes do candidato e do vice para depois confirmar o voto apertando o verde.

Por fim é a vez de escolher o presidente, que assim como o governador é representado por dois dígitos. Basta digitar o número (00, por exemplo) conferir a foto, além dos nomes do candidato e do vice para depois confirmar o voto apertando o verde. Feito isso está encerrada a votação.

Não há tempo estipulado para a votação e, caso a pessoa digite um número errado, ela pode corrigir, isso se ela não tiver confirmado, apertando o botão laranja. Além disso, há a possibilidade de votar nulo ou branco em todos os cargos.

 

 

Comentários
×