Polícia reconstitui morte de taxista

 

Anna Lúcia Silva

A Polícia Civil realizou na tarde de ontem, 13, a reconstituição de um crime de latrocínio envolvendo um taxista, ocorrido em fevereiro deste ano. A vítima, de 40 anos, foi encontrada no bairro Campina Verde com sinais de violência. Segundo o delegado responsável pelo caso, Vivalde Júnior, a reconstituição auxiliará na elucidação dos fatos.

A ação foi realizada na rua Goiás entre as ruas Rio Grande do Sul e Bahia, ponto de táxi onde a vítima trabalhava. A  reconstituição ocorreu também no bairro Campina Verde, local em que o corpo foi localizado.

Reconstituição

A corrida foi solicitada no ponto de táxi onde ficava o taxista e, por isso, a reconstituição teve início no local. Segundo o delegado, câmeras do Olho Vivo e do comércio local gravaram imagens que mostram o suspeito entrando no carro às 5h28, em 2 de fevereiro.

Ao entrar banco de trás do veículo, o autor seguiu com o taxista até o bairro Campina Verde, mais precisamente a rua Novo México. No local, o suspeito efetuou um golpe de faca no ombro, próximo à região do pescoço. A Polícia Civil não confirmou latrocínio na ocasião porque não identificou nenhum roubo, no entanto, um detalhe foi fundamental para caracterizar o crime.

— Chegamos à conclusão de que era um latrocínio porque o taxista, ao ser golpeado, saiu do carro e pediu ajuda a uma testemunha dizendo que havia acabado de ser assaltado. Com a reconstituição, esperamos mobilizar a população. Reitero que, caso alguém tenha alguma informação ou reconheça o autor pelas imagens das câmeras, repasse pelo 181. No mais, as investigações continuam na tentativa de localizar o suspeito— relatou Vivalde.

 

Comentários
×