Polícia Federal apreende materiais de explosão a caixas eletrônicos em Divinópolis


Da Redação

Operação para combater explosões a agências bancárias deflagrada na manhã desta terça-feira, 21, pela Polícia Federal (PF) de Varginha, teve desdobramentos em Divinópolis. A “Rapina” em conjunto com as polícias Civil e Militar, foi atrás de criminosos suspeitos de roubo qualificado pelo uso de artefato explosivo, disparo de arma de fogo em via pública e associação criminosa.

A ação foi baseada na última explosão praticada por assaltantes na madruga no dia 3 do mês passado nas agências dos bancos Bradesco e Caixa Econômica Federal, em Elói Mendes, causando diversos danos às instalações. Na ocorrência eles efetuaram inúmeros disparos de armas de fogo na via pública. Após a fuga, os suspeitos abandonaram e incendiaram o veículo utilizado no crime.
Com o avanço das investigações, a PF solicitou seis mandados de busca apreensão, que foram expedidos pela Justiça Federal de Varginha e cumpridos em Belo Horizonte, Elói Mendes, Cordislândia e Divinópolis.

Divinópolis

A PF Divinópolis informou ao Portal Agora que foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão na cidade e diversos materiais foram apreendidos. Ainda segundo a PF tudo será encaminhado a Varginha que comandou a operação.

Os crimes apurados têm penas que, somadas, podem chegar a 16 anos de prisão.

Nome

O nome da operação faz referência ao termo “rapinar”, cujo significado é roubar ou subtrair, especialmente com emprego de violência.

Seguindo todos os protocolos de cuidados do Ministério da Saúde (MS) em face da pandemia da covid-19, a PF diz que continua trabalhando para desmantelar grupos criminosos como este.

Comentários
×