Polícia Civil suspeita de esquema para fraudar prova de legislação da CNH

Segundo investigadores, candidato tinha aparato tecnológico colado ao corpo, com câmera e ponto eletrônico

Matheus Augusto

Em quase uma semana, a Polícia Civil (PC) chegou a três suspeitos de tentarem fraudar a prova de legislação para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Dois dos envolvidos, um candidato e um instrutor, presos na última semana, foram soltos pela Justiça; o terceiro encontra-se, preventivamente, no presídio Floramar. Em seu depoimento, o aluno disse ter pago R$ 3 mil pelo serviço.

Segundo detalharam os investigadores, o candidato, ao fazer a prova, usava uma espécie de cinta, que sustentava uma microcâmera, bem como usava o celular e um ponto eletrônico. Do outro lado, um instrutor de uma autoescola lia as questões e falava a resposta. O terceiro suspeito, também instrutor em Divinópolis, era responsável pelo trabalho de mediação e por atrair clientes de outras cidades. O candidato preso na última semana tinha endereço em Belo Horizonte e transferiu sua pauta para Divinópolis após, mesmo aprovado, ter o teste anulado. 

Conforme apontam as investigações, pela tecnologia utilizada, não se trata de um caso singular e, por isso, estão sendo averiguadas se outros candidatos fraudaram o processo. 

Comentários
×