Polícia Civil prende homem que estuprou e engravidou adolescente de 13 anos

 

Anna Lúcia Silva

Um caso de estupro que veio à tona ontem em Carmo do Cajuru chocou a população daquela cidade e de outras da região. A Polícia Civil prendeu um homem de 40 anos suspeito de abusar sexualmente e engravidar uma adolescente de 13 anos no município.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Weslley Amaral de Castro, Luciano Delino Barbosa, de 40 anos, estuprou e engravidou a vítima que deu à luz em julho de 2018 a uma menina. As investigações tiveram início nesta ocasião, quando a PC foi informada pelo Conselho Tutelar do nascimento da criança.

O suspeito compareceu à delegacia ontem, com sua advogada, e foi preso. Ele nega toda ação, diz que nunca encostou na vítima e ainda contesta o resultado do DNA requerido judicialmente que comprova sua paternidade. O homem foi encaminhado para o presídio Floramar em Divinópolis, onde se encontra à disposição da Justiça.

Não agiu sozinho

Ainda conforme detalhes do delegado, o suspeito preso não agiu sozinho no crime. Weslley conta que quando os pais da garota saíam para trabalhar, ele e o filho dele, um menor de 17 anos, que atualmente mora na Espanha, iam até a casa e violentavam a garota. A ação era praticada pelos dois, enquanto mantinham a adolescente amordaçada.

— Como verdadeiros predadores sexuais, tanto o investigado, quanto o filho dele se aproveitaram da proximidade das famílias, quando a mãe e o pai da vítima não estavam, e ali então praticavam os abusos sexuais. Não satisfeitos, eles ameaçavam a vítima e a família — contou.

Indiciado

 O suspeito foi indiciado pela prática do crime de estupro de vulnerável, que tem pena de até 15 anos, mas pode sofrer acréscimo de até dois terços em função de a vítima ter engravidado. O suspeito de 17 anos pode ser extraditado nos próximos dias após contato da polícia mineira com a Polícia Internacional (Interpol), e, em seguida, poderá responder por ato infracional análogo ao crime de estupro.

 — A Polícia Civil ainda vai instaurar inquérito para investigar uma possível conivência por parte do padastro e da mãe da vítima, ou um possível abandono de incapaz, uma vez que, essa adolescente, sobre a qual inclusive suspeita-se que tenha Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), foi abandonada pelos pais que deixaram que ela fosse vítima de tais crimes absurdos —destacou o delegado.

 

Comentários
×