Polícia Civil faz buscas na casa de suspeito de feminicídio

Ex- companheiro da mulher está preso desde de novembro e a PC desconfia que o corpo esteja enterrado na casa

Da Redação

Karla Gonçalves Borges, de 32 anos, mãe de três filhos, desapareceu em Divinópolis no dia 5 de janeiro de 2019. Mais de dois anos depois, seu caso ainda não teve desfecho, mas novas pistas podem ajudar a história a ter fim. A Polícia Civil (PC) realizou, na tarde desta terça-feira, 6, buscas no imóvel em que Karla e o companheiro, dez anos mais velho, dividiam desde novembro de 2018. A investigação aponta que a jovem tenha sido assassinada e enterrada no local.

Conforme as provas coletadas até o momento pela PC, o companheiro, preso preventivamente em novembro do ano passado, é o principal suspeito. Ele é acusado de feminicídio e ocultação de cadáver, mas nega o crime. Na época, ele disse ter brigado com Karla e, após a discussão, ela foi embora.

Família

Há dois anos, o pai da vítima, Luís Carlos Gonçalves, contou ao Agora que o homem possuia uma extenso histórico de violência contra sua filha. Segundo os relatos, os abusos envolviam agressões físicas e verbais, inclusive no período de gestação. Luís também disse que Karla era agredida constantemente e que ele já chegou a amarrá-la a uma árvore e queimar suas roupas.

Comentários
×