Polícia Civil apura fraude contra seguros

Homem de 52 anos é suspeito de incendiar carro de maneira proposital

Da Redação

Um homem é investigado por suspeita de fraudar o sistema de seguro de veículo em Divinópolis. Ele tem 52 anos e foi alvo de mandado de busca e apreensão na manhã de ontem, no bairro Maria Helena.

As investigações da Polícia Civil (PC) tiveram início quando a corporação recebeu denúncia de que o investigado teria sido assaltado por um casal no decorrer de uma corrida de um aplicativo de transporte em Carmo do Cajuru. No dia seguinte, a polícia encontrou o veículo carbonizado na estrada entre a cidade e Divinópolis.

De acordo com o delegado responsável pelo inquérito, Weslley Castro, a versão do suspeito apresentava inconsistências. No início das apurações, a equipe de investigação descobriu que o veículo era segurado. Depois disso, a PC solicitou à Justiça mandado de busca e apreensão para cumprir na casa do homem.

— Durante o cumprimento, foi apreendido um aparelho celular que o investigado tinha informado ter sido roubado com o veículo em março. Em depoimento, ele confessou ter mentido sobre o assalto com o objetivo de realizar uma fraude em detrimento a uma associação de seguros — explicou Weslley Castro.

Ainda segundo o delegado, as investigações conduzidas pela equipe da Delegacia de Polícia Civil em Carmo do Cajuru prosseguirão com o objetivo de apontar outras pessoas que possam estar envolvidas na prática. Ao fim do inquérito, o suspeito será indiciado por estelionato qualificado, fraude para recebimento de valor de seguro e por falsidade ideológica.

Em Pompéu

Dois suspeitos foram presos em Pompéu na Operação 404, que investiga crimes cometidos pela internet. A ação policial foi deflagrada também na manhã desta quinta-feira e foi coordenada pelo Ministério de Justiça e Segurança Pública (MJSP). Os dois presos são os únicos investigados em Minas Gerais.

A ação teve por objetivo reprimir crimes praticados contra a propriedade intelectual na internet. O trabalho coordenado pela Secretaria de Operações Integradas do MJSP envolve a Polícia Civil de dez estados: Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo. Foram cumpridos, por determinação judicial, 25 mandados de busca e apreensão em 10 estados, bloqueio e suspensão de 252 sites e 65 aplicativos de streaming ilegal de conteúdo, desindexação de conteúdo em mecanismos de busca e remoção de perfis e páginas em redes sociais.

A ação integrada no combate à pirataria on-line foi deflagrada com a colaboração das embaixadas dos Estados Unidos (Adidância de Polícia de Imigração e Alfândega- Homeland Security Investigations (HSI) e Departamento de Justiça) e do Reino Unido no Brasil (IPO – Intellectual Property Office e PIPCU - Police Intellectual Property Crime Unit).

No Brasil, a pena para quem pratica esse crime é de reclusão, de dois a quatro anos, e multa (art. 184, §3º do Código Penal Brasileiro).

Comentários
×