Plateia

Foi com casa cheia que o vereador Matheus Costa tomou posse ontem, na primeira reunião da Câmara em 2019. Familiares, amigos e curiosos foram à cerimônia prestigiar o jovem do PPS que depois de muitas tentativas, ser bem votado em pelo menos dois pleitos, finalmente assume uma das 17 cadeiras da Casa.  Ele substitui Cleitinho Azevedo eleito deputado estadual e já atuando e dando o que falar na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. E pelo primeiro discurso, seguirá a mesma linha do antecessor. Teremos ‘repeteco’, lá e cá?

Mas, já

E, Matheus, chegou, chegando. Durante seu discurso, além de agradecer e ressaltar a felicidade em assumir o cargo enaltecendo a referência política da família, fez uma grave acusação. Diz que foi intimidado por um dos vereadores que o abordou com as seguintes palavras: “não me rotula que te rotulo também”. Preferiu não citar o nome para evitar constrangimento, mas revidou e disse que assumiu para trabalhar e não para bajular ninguém. Isso é o mínimo que se espera de um representante do povo. Uma pena que não ocorre na prática.

Nem aí

E uma coisa não muda na Câmara. A falta de prestígio para com o colega durante seus discursos. Nem mesmo em dias que o plenário fica cheio, e olha que são raros, os vereadores se aguentam em suas cadeiras para ouvir o que o outro tem a falar. Não sei o que espanta tanto é o assunto abordado, a falta de compatibilidade com quem está falando ou a falta de conforto da cadeira. Ontem, por exemplo, dos 17, apenas 7 estavam em seus lugares na hora do discurso de Josafá Anderson? Será que a demanda de gabinete não pode ser resolvida antes ou depois? Bem, poder, certamente sim, mas, certos interesses, é sabido que não.

Por essa

Tidos como maiores apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL), os militares realmente não esperam ser inclusos na tão falada reforma da Previdência. O governo federal deve fechar somente nas próximas semanas, a proposta de reforma que enviará ao Congresso Nacional. Porém, uma minuta preliminar da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo nesta segunda-feira e trouxe à tona o assunto. Pelas informações, deve ser criada uma alíquota previdenciária para os militares que não poderá ser menor que a cobrada pelo INSS (hoje entre 8% e 11%).

E tem mais

Pela proposta, eles ainda estarão sujeitos ao pagamento de alíquotas complementares, na tentativa de equacionar o rombo no regime da categoria, que ficou em R$ 43,9 bilhões no ano passado. A medida representa uma reviravolta no tratamento dos militares, que hoje pagam 7,5% para financiar o pagamento de pensões. Essas alíquotas poderão inclusive ser cobradas de militares da reserva ou que foram reformados. Há a possibilidade ainda de instituir contribuições progressivas, conforme a remuneração. E não acabou.

Vai igualar

A equipe econômica também propõe nivelar as regras das Forças Armadas para os policiais militares. A vinculação é uma demanda dos governadores com dívidas astronômicas, que articulam uma frente pró-reforma. Os militares nos Estados contam hoje com uma série de regras especiais para a aposentadoria e representam uma fatia significativa do déficit. Alguém tem que pagar a conta.

Na Civil

O delegado Ailton Aparecido de Lacerda assume o 7º Departamento da Polícia Civil com sede em Divinópolis, em substituição a Ivan José Lopes que foi nomeado pelo governador Romeu Zema (Novo) para Coordenador Geral de Segurança do Estado. O novo chefe está há 21 anos como delegado, antes exerceu outros cargos e é natural de Leandro Ferreira.

Na Militar

Outro que já assumiu o principal posto da Polícia Militar na região é o coronel Webster Wadim Passos Ferreira de Souza. O oficial assume o lugar do coronel Marcelo Augusto dos Santos na 7ª Região da PM, que foi para a reserva. A solenidade de transmissão de cargo será na próxima terça-feira.

Nos Bombeiros

Ainda nas trocas de comando, o 10º Batalhão do Corpo de Bombeiros em Divinópolis pode ter à frente uma mulher. O tenente-coronel Paulo César também irá para reserva e deve ser substituído pela subcomandante, a major Amanda Cristina.

Comentários
×