Petrobras reajusta preço do gás de cozinha em 5% nas refinarias

Aumento vale a partir de hoje (23)

Da Agência Brasil

A Petrobras reajustou em 5% o preço médio do gás liquefeito de petróleo (GLP) nas suas refinarias. O aumento vale a partir de hoje, 23. Com isso, o preço médio da Petrobras será equivalente a R$ 26,55 por botijão de 13kg.

No acumulado do ano, o preço do gás de cozinha teve uma queda de 4,5%, ou de R$ 1,26 no botijão de 13 kg. A companhia destacou que, desde novembro de 2019, igualou os preços de GLP para os segmentos residencial e industrial/comercial. A Petrobras acrescentou que vende o GLP a granel.

A companhia informou ainda que as distribuidoras são as responsáveis pelo envase em diferentes tipos de botijão e, junto com as revendas, são responsáveis pelos preços ao consumidor final.

De acordo com a Petrobras, os preços do GLP vendidos às distribuidoras têm como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. Para a empresa, a paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço considera uma margem que cobre riscos, como volatilidade do câmbio e dos preços.

Preços

Em Divinópolis, segundo pesquisa realizada, em 17 estabelecimentos, pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), na última semana, o preço do médio do botijão de gás, 13Kg, ficou em R$ 65,76, sendo o preço mais barato encontrado de R$ 63,00 e o mais caro ficou R$ 75,00. Na região Divinópolis foi a que teve o menor preço médio na comercialização do botijão e a cidade de Itauna com R$ 73,75, foi a que registrou o maior preço.

Mercado

A reportagem entrou em contato com algumas revendas do produto na cidade, mas todas elas estão esperando as novas remessas e comunicados das respectivas distribuidoras para verem quais medidas serão adotadas em relação a nova tabela de preço a ser praticada.

— Temos que esperar o dizer das distribuidoras para nos posicionar diante o mercado. O mercado é livre e a concorrência pesada, então temos que montar nova ação de trabalho. Mas que o aumento vai ser repassado não tenha duvida, mas temos que ver de qual maneira será — avaliou a atendente, Soraia Gomes.

Comentários
×