Pesquisadores pedem apoio para manutenção de estudo sobre benefícios medicinais da maconha

Da Redação

Um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) em Divinópolis está solicitando apoio  para a continuação do estudo da Cannabis e seus produtos terapêuticos. 

— Nossas pesquisas trazem a esperança para os brasileiros que necessitam do uso da Cannabis medicinal para o tratamento de doenças e que não têm condições para a importação. Nós estamos desenvolvendo desde o cultivo até o produto terapêutico no Brasil a ser disponibilizado à população, com um preço acessível e que esteja dentro dos padrões e regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) — informou o mestrando em ciências farmacêuticas Brayan Jonas Mano Sousa, integrante do grupo.

Cortes

O grupo de pesquisa CanaB, aliás, é o primeiro e único do Brasil a possuir autorização da Anvisa. Frente ao atual cenário que as instituições federais estão vivendo, de cortes de verbas, não tem condições de continuar as pesquisas devido à falta de equipamentos, reagentes e insumos.

— Os auxílios financeiros a projetos pela Fapemig não têm sido cumpridos e não há previsão para liberação. Na UFSJ, o corte será de 32% do orçamento, 17,4 milhões de reais, representando 40% do que é gasto com o funcionamento da Universidade, o que irá inviabilizará as atividades a serem realizadas até o fim deste ano — informou Brayan. 

Ele disse ainda que o CanaB é pioneiro em resultados neste tipo de biotecnologia. Os primeiros métodos de cultivo e análise já estão em processo de publicação, depósito de patentes e divulgação em eventos. 

— Adicionalmente, já realizamos o depósito de patente de um dos métodos de cultivo que desenvolvemos para obtenção de altos teores de canabidiol. E, ainda, trabalhamos no desenvolvimento de programas e produtos de análise de canabinoides e outras substâncias. No ano passado, nosso grupo foi a mais de 10 congressos, simpósios e eventos científicos para divulgação dos resultados — acrescentou Brayan.

O grupo tem parceria com a Polícia Civil de Minas Gerais para o desenvolvimento de novas técnicas de análise, melhoramento e validação de técnicas já usadas. 

— A parceria com a Perícia da Polícia Civil de Minas Gerais também visa facilitar e acelerar as análises forenses no município e região, evitando, assim, o envio de amostras falso-negativas para o laboratório especializado localizado na capital mineira — afirmou o farmacêutico. 

Doações

O dinheiro arrecadado será utilizado na compra de insumos básicos para a pesquisa: solventes, reagentes, padrões, tubos e frascos. O grupo também vai adquirir um fluxo laminar, autoclave vertical e insumos para o HPLC - vials, coluna analítica e lâmpada. 

Quem doar a partir de R$ 20 receberá um e-book do livro Plantas Medicinais, produzido pelo grupo de pesquisa. Doações acima de R$ 50 receberão em casa a versão impressa da obra.  Aqueles que doarem acima de R$ 100 receberão a versão física do título e uma camiseta exclusiva do grupo de pesquisa CanaB.

As doações podem ser feitas por meio deste link.

Comentários
×