Pesquisa prevê Natal de preços baixos

Inflação baixa vai contribuir para que isso aconteça, mostra o levantamento

Da Redação

Os supermercadistas mineiros acreditam que as vendas do setor no Natal deste ano devem ser melhores em relação ao mesmo período de 2018. A melhora na economia, com a recuperação do emprego, ainda que de forma lenta, somada à estabilidade dos preços, fazem os empresários esperar um crescimento de, pelo menos, 3,5%.

Um levantamento realizado pela Associação Mineira de Supermercados (Amis), com 150 empresários de todo o estado, revela essa expectativa positiva. Lembrando que, em comparação das vendas de dezembro sobre novembro, historicamente, os resultados sempre superam os 20%.

Mix de produtos

Apesar de a sazonalidade puxar a venda de todo o mix, a aposta está nos produtos típicos da época. Nas vendas de panetones, por exemplo, é esperado um crescimento de 10% sobre o Natal de 2018. A linha de vinhos, outro produto com bastante demanda no período, deverá ter um aumento de vendas de 7%. Ainda no segmento de bebidas, é esperado um acréscimo de 8% em cervejas.

O destaque deverá ser o maior crescimento na categoria premium, esperam os entrevistados. As bebidas, de uma forma geral, deverão ter um aumento de 4% nas vendas.

Aves

As aves típicas da sazonalidade, exceto peru, terão sua procura aumentada em 6%, enquanto as carnes diversas, incluindo lombo e pernil, terão aumento de 10%, conforme projetam os resultados da pesquisa. O tradicional peru tem demanda garantida para boa parte dos supermercadistas pesquisados, mas a maioria deles acredita em estabilidade nas vendas desse produto.

Preços estáveis

Para contribuir com as vendas no Natal, os empresários do setor vão praticar preços nos mesmos patamares do ano passado. A inflação baixa deve contribuir para que isso aconteça. Segundo eles, os preços terão, no máximo, a reposição da inflação, que está na casa dos 2,8%, em 12 meses. Os importados também não devem ter grande variação de preço comparado ao do ano passado, já que a cotação do dólar está próxima do que acorreu em 2018, na casa dos R$ 3,70, com máxima de R$ 4,01, ante a faixa dos R$ 4 neste ano.

Empregos temporários

Segundo a Amis, 40,6% das redes pesquisadas vão contratar funcionários temporários para reforçar o atendimento no Natal. Serão cerca de 2% a mais em relação ao quadro fixo, o que representa em torno de 1,6 mil pessoas. No entanto, diversas empresas fornecedoras também contratam esses trabalhadores para reforçar o atendimento e a apresentação ou degustação de produtos. Com isso, o total de profissionais temporários atuando diretamente nos supermercados deve chegar a 3,5 mil. Cerca de 15% desses temporários são integrados de forma definitiva ao quadro da empresa ao longo do ano.

A outra parcela das empresas, que informaram que não vão contratar, ajustou o período de férias dos funcionários ao longo do ano para contar com toda a equipe em dezembro.

ICMS

E outra boa notícia para o setor é que supermercadistas e fornecedores que realizaram negócios na Superminas 2019, que terminou ontem, vão ter prazo exclusivo para o recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviço (ICMS). A decisão foi publicada no dia 31 de agosto, no Diário Oficial do Estado, por meio da resolução 5.285, que indica o pagamento para o dia 8 de dezembro para as vendas realizadas durante o evento.

Comentários
×