Pesquisa com capivaras no Parque da Ilha continua

Da Redação

Foi realizada, no Centro Administrativo da Prefeitura de Divinópolis, uma reunião para tratar do cronograma de ações a ser executado no Parque da Ilha durante todo o ano.

O encontro ocorreu no gabinete da vice-prefeita, Janete Aparecida, na semana passada, e contou com a participação do biólogo da Prefeitura e subcoordenador da Sala Verde e do Parque da Ilha, Claudemir Cunha, e de Clóvis Gomes de Carvalho Júnior, que é médico veterinário no Crevisa.

Na oportunidade, foi apresentado por Clóvis, que também é doutorando em ciências da saúde na área de doenças infecciosas e parasitárias, a pesquisa que está desenvolvendo no Parque da Ilha com as capivaras. O projeto visa estabelecer um controle dos elementos parasitários transmissores da febre maculosa, através do monitoramento dos vetores. As amostras coletadas estão armazenadas e, posteriormente, serão enviadas para a Fiocruz no Rio de Janeiro.

De acordo com o pesquisador, em 2020, foram realizadas sete coletas de carrapatos e uma em janeiro de 2021, devendo esta etapa terminar em abril. A partir de maio, será iniciada a fase de tentativa de captura das capivaras e o manejo reprodutivo, que é a esterilização dos animais. O projeto ainda contempla mais dois anos de coletas de carrapatos para análise da taxa de infecção antes e depois da esterilização.

O sistema de monitoramento é uma parceria entre Município e a Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), com o apoio do Ministério Público do Meio Ambiente, que seguirá dentro de um cronograma planejado para o ano de 2021, manutenção de um sistema de aceiro seguindo um protocolo de biossegurança em área delimitada.

Comentários
×