Personagens da volta às aulas presenciais relatam protocolos seguros nas escolas

Pais, alunos e professores aprovam medidas sanitárias; redes municipais e estaduais públicas começaram a receber alunos

 

 

Bruno Bueno

As aulas presenciais na rede pública municipal e estadual retornaram oficialmente nesta semana em Divinópolis. Algumas escolas administradas pelo Estado voltaram na última segunda-feira, 2, com os alunos do 1º ao 5º ano e 9º ano do ensino fundamental, além do 3º ano do ensino médio – 1º ao 5º ano já havia voltado na semana anterior –, enquanto as instituições municipais retornaram, ontem, do 1º ao 9º.

Com o esperado retorno das aulas também chegaram os rígidos protocolos sanitários que devem ser cumpridos pelas escolas. O Agora procurou personagens – pais, professores e alunos – das redes municipal e estadual para averiguar se essas medidas estão sendo cumpridas pelos profissionais.

Pai

Luiz Otávio Machado Santos, empresário do ramo de estacionamentos, levou o pequeno Enzo, de seis anos, para o ansioso retorno às aulas presenciais. O pai relatou segurança em levar o filho que está no 1º ano fundamental da Escola Municipal São José e São Geraldo.

— Aprovei. As professoras e o pessoal que recepcionou estavam de máscara, luva e outros equipamentos para seguir os protocolos sanitários. Não pude entrar com meu filho, mas, quando deixei ele na porta, vi que os funcionários aferiram a temperatura e passaram álcool em gel na mão dele. Tudo nos conformes — disse.

Professora

A reportagem também conversou com a professora de educação física Eliza Imaculada Fernandes Cardoso, que trabalha na rede estadual. Ela relatou dificuldades em se adaptar à nova proposta de ensino.

— É muito bom conhecer os alunos pessoalmente. Estou fazendo adaptações nas minhas aulas para que tudo seja como os protocolos pedem. Nós seguimos o Plano de Estudos Tutorados (PET) e as atividades complementares, mas os alunos sentem falta das brincadeiras na quadra. A principal dificuldade é me adaptar a esse jeito eensinar o melhor na sala de aula — ressaltou.

Eliza também enfatizou que se sente segura com o retorno.

— Os protocolos estão sendo seguidos com muito cuidado. Além das orientações já conhecidas (máscara, distanciamento, álcool em gel etc.), os alunos não podem dividir o mesmo objeto e os professores têm que falar mais alto para não chegar perto deles. São 9 a 11 alunos por sala, dependendo do turno. Como já me vacinei e a escola onde trabalho cumpre todos os protocolos, me sinto mais segura para voltar — afirmou.

Aluno

João Vitor Fausto Lemos dos Santos, aluno do 9º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Padre Matias Lobato, também conversou com o Agora. Ele relatou que a escola que estuda está cumprindo os protocolos, incluindo mudanças em horas importantes, como o recreio.

— Não tem recreio, só o lanche. Todas as cadeiras com distanciamento, e os materiais que usamos para comer são todos descartáveis. Está sendo normal, a escola toma todos os cuidados: tem limite de alunos que pode entrar na escola, tem que sempre manter o distanciamento, troca de máscara e sempre tem que passar álcool em gel — relatou.

Rede municipal

A rede municipal não receberá os alunos que adotaram o ensino presencial todos os dias da semana. As aulas remotas serão aplicadas nos dias em que os alunos não forem para a escola. Os responsáveis que não enviaram os filhos para as aulas presenciais receberão as atividades remotas normalmente. Todas as escolas municipais da cidade estão autorizadas a retornar.

Cada escola municipal deverá fechar uma vez por semana para que a sanitização completa da instituição aconteça. A Prefeitura também orientou que os pais atualizem o cartão de vacinas dos alunos. 

Rede estadual

A rede estadual tem, até o momento, quase 30 escolas autorizadas pela Secretaria de Estado de Educação (SEE) para retornar presencialmente. Os alunos que adotarem o ensino híbrido vão intercalar entre uma semana em casa e outra semana nas escolas. O retorno também é opcional.

Confira as escolas estaduais de Divinópolis que podem receber os alunos presencialmente:

Cesec Dr. Fábio Botelho Notini, Antônio da Costa Pereira, Antônio Gonçalves de Matos, Antônio Olímpio de Morais, Armando Nogueira Soares, Helena Antipoff,  Dona Antônia Valadares, Engenheiro Pedro Magalhães, Halim Souki, Henrique Galvão, Ilídio da Costa Pereira, Joaquim Nabuco, Jovelino Rabelo, Lauro Epifânio, Luiz de Melo Viana Sobrinho, Manoel Correa Filho, Martin Cyprien, Miguel Couto, Monsenhor Domingos, Nossa Senhora do Sagrado Coração, Padre Matias Lobato, Patronato Bom Pastor, Professor Chico Dias, Rosa Vaz de Araújo, Santo Tomás de Aquino, São Francisco de Assis, São Francisco de Paula, São Vicente e Vicente Matheus.

 







Comentários
×