Penúria

 

Não bastasse o estado de penúria e desânimo que paira sobre Divinópolis, bastidores políticos garantem que o prefeito Galileu Machado vai enviar duas medidas polêmicas à Câmara na próxima semana.  

Cargos   

Uma delas seria uma reforma administrativa para aumentar o número de cargos comissionados (de livre nomeação). A outra propõe revisão da planta cadastral do município, o que provocaria aumento do valor do IPTU (já tem gente com saudades de Vladimir). 

Então tá!  

O número de cargos a serem criados não foi especificado, mas fala-se em 50. Hoje já são 221 dessa natureza na prefeitura, sendo que no governo Vladimir o prefeito trabalhou com cerca de 170. Já Galileu, logo no início de sua gestão preencheu 210 nos primeiros 60 dias e o restante em seguida. Com a ampliação, a atual gestão trabalharia com 100 cargos de livre nomeação a mais do que Vladimir. 

 Cadastro  

Outra medida polêmica e que também deverá ser discutida na Câmara é a revisão da planta cadastral do município, com o objetivo de atualizar o valor venal dos imóveis (valor de venda), sobre o qual é calculado o IPTU. Muitos imóveis estão cadastrados com valores que eram praticados na década de 90.   A fiscalização irá fazer também levantamento dos lotes vagos que receberam construções e continuam pagando imposto como se ali não existisse edificação. 

 Bons olhos 

A medida, apesar de polêmica, é vista com bons olhos porque ajuda a combater a especulação imobiliária e cobra mais impostos de quem tem imóveis de maior valor. Além de ser também uma determinação do Plano Diretor que a planta seja revista a cada quatro anos. 

 Multa  

Enquanto Divinópolis caminha a passos de lesma para educar a população, Bom Despacho saiu na frente e já está punindo. Através do decreto 7.690 foi regulamentado o uso racional e eficiente da água e quem for flagrado desperdiçando água vai pagar multa de R$ 300 na primeira autuação, R$ 600 na segunda e 20% de acréscimo a partir de terceira. As denúncias podem ser feitas pelo telefone 0800-285-3737, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, ou na página da Ouvidoria. O rio Capivari, que abastece a cidade também está em estado lastimável. E o Itapecerica, hein?  

Atitude  

Ao contrário de quem usa as redes sociais para destilar veneno no teclado e descer a lenha nos políticos sem nada acrescentar para resolver os problemas da cidade, o empresário Sávio Fernatti deu exemplo de grandeza e cidadania. Na quarta-feira ele pôs a Banda Lex Luthor para levar magia e encantamento no palco do Teatro Gravatá, com o poket show “Magic tour”.   

 Equipamentos 

 A apresentação especial teve toda a venda de ingressos revertida para a compra de equipamentos de som e iluminação que serão doados ao teatro. Foram arrecadados quase R$ 10 mil. Com a simpatia de sempre, Sávio deu o recado: “É uma pequena parte do nosso espetáculo o que trouxemos para vocês esta noite. É muito bom ajudar ao próximo e contar com vocês aqui é melhor ainda”, afirmou. 

 Mecenas  

Agradecido e impressionado com a qualidade do show, o secretário municipal de Cultura, Osvaldo André de Mello, é só elogios ao artista: “Sávio é movido por amor legítimo à sua terra, porque o coração, este sim, constrói. Investiu tempo, criatividade, concebeu, ensaiou e nos apresentou um espetáculo grandioso. E doou a bilheteria ao teatro mediante a compra de equipamentos. Um autêntico mecenas da pós-modernidade”, registrou. 

Comentários
×