Pensando já em 2019

Batendo Bola 

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br

 

Único time com calendário já definido para 2019 — Campeonato Mineiro, Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Copa Libertadores —, o Cruzeiro larga na frente de seus adversários e pode, desde já, definir seus planos para a próxima temporada. Chegada e saída de jogadores, com certeza, fazem parte dos projetos de sua diretoria, e se o sonho é de conquistas para o ano que vem é mesmo real, o erro tem que ser o menor possível.

 Saídas 

Alguns jogadores que fazem parte do elenco azul não são bem vistos pela torcida, e a diretoria tem que rever seu posicionamento. Manter atletas que não mostraram serviço este ano não é o melhor caminho, e a saída de alguns deles é até esperada.

 Moeda de troca 

Como o clube não pode simplesmente abrir mão de um passivo financeiro — atletas são humanos sim, mas têm também valor em $$$$ — o melhor seria usá-los como moeda de troca, para que Mano receba realmente reforços, jogadores que cheguem para somar ao grupo.

Ataque

 Pelo menos numa posição o técnico Mano Menezes não tem qualquer preocupação: no seu comando de ataque. O time tem quatro opções para o setor — Sassá, Raniel, Hernán Barcos e Fred — que podem contribuir para que o time volte a ser decisivo no seu setor ofensivo.

Reforços garantidos 

Durante a temporada, dois deles (Fred e Sassá) praticamente ficaram fora de ação e só agora voltam a ficar à disposição do treinador, e pelas qualidades de cada um são reforços mais do que bem vindos.

 Artilheiro 

Pelo menos de um deles a torcida espera muito para 2019. O atacante Fred, no auge de seus 35 anos, mostrou que está totalmente recuperado da contusão e, em forma física e técnica, ainda está entre os melhores da posição no futebol brasileiro.

MANGUIERAS BRASIL

Planejamento passa por vaga 

Com o time ainda com posição indefinida quanto à próxima temporada, todo o planejamento do Atlético passa, forçosamente, pelo que a equipe ainda fará neste restante de Brasileiro. A vaga para a Copa Libertadores determinará o investimento a ser feito na montagem do time.

Quase lá 

Em 6º lugar, com 46 pontos ganhos, mesma pontuação do Santos (7º), mas levando vantagem nos critérios de desempate, e com três pontos à frente do Atlético Paranaense, o time alvinegro ainda depende apenas de seu próprio futebol para voltar a disputar a Libertadores, no ano que vem. Mas para que isto seja realidade o time não pode mais vacilar, principalmente nos jogos que fará em casa.

A vaga está nas mãos do Galo, mas terá que mostrar bem mais futebol que em seus últimos compromissos.

América em situação crítica 

É, não tem mesmo jeito para o América. Entra ano e sai ano e sua história tem o mesmo enredo. O efeito ioiô nunca abandona o Coelho. O time sobe para a elite numa temporada e na outra já fica entre os últimos colocados. É sofrimento que nunca acaba.

Risco real 

Hoje na 16ª posição na tabela, o América tem a mesma pontuação do primeiro time na zona de rebaixamento, a Chapecoense, e se não vencer o clássico do fim de semana, contra o Cruzeiro, corre riscos reais de figurar entre os últimos colocados ao final da rodada.

Agora, o risco de rebaixamento é sim real e o Coelho terá que jogar muita bola para evitar o pior.

Comentários
×