Pegou mal para Lula

Assim que saiu da sala da Polícia Federal (PF), onde estava recolhido, Lula (PT) conclamou em discurso a militância a lutar contra o governo de Bolsonaro: “que siga o exemplo do povo do Chile”, disse. Só que ele não contava com a ação dos manifestantes da extrema esquerda de invadir e depredar igrejas naquele país. Segundo informações do jornal La Tercera, os saqueadores entraram na igreja removendo os bancos, confessionários e até as imagens para formar barricadas e confrontar a polícia. Porém, após destruírem os móveis e imagens da histórica igreja, os manifestantes da extrema-esquerda incendiaram todos os objetos roubados, profanando o Sacrário e danificando o templo.

Avenida 1º de Junho linda

Vale a pena caminhar pela avenida 1º de Junho para ver a florada das árvores “escumilhas africanas”. Adivinhem em qual governo municipal elas foram plantadas? Se pensaram no ex-prefeito Aristides Salgado, acertaram! Mais do que projetar edificações em busca das melhores soluções, os arquitetos e urbanistas também são responsáveis pelas questões que envolvem o planejamento urbano. Aristides, em seus dois mandatos, sempre agiu sobre os espaços públicos com foco nas pessoas, promovendo bem-estar e segurança. E as “escumilhas africanas” embelezando e humanizando a avenida 1 º de Junho são mais um legado do ex-prefeito, arquiteto e urbanista para a cidade.

Se Itaúna duplica...

Olhando o mapa rodoviário de Minas Gerais constata-se que, enquanto Divinópolis está estrangulada pela estreita rodovia MG-050, as cidades de Nova Serrana e Pará de Minas têm a BR- 262 duplicada até Belo Horizonte. A realidade é que as cidades atendidas por rodovias duplicadas atraem mais indústrias, uma vez que transportar produtos por estas rodovias é mais rentável, considerando o tempo, a economia e rapidez da locomoção. Agora, se a AB Nascentes das Gerais duplicar a 050 de Itaúna até a 262, a cidade vizinha vai atrair mais indústrias, geradoras de empregos e rendas do que Divinópolis. Ficaremos isolados e a ver navios!

Recicláveis em Divinópolis

Segundo Paulo Marius, que é médico veterinário, o descarte de materiais recicláveis em Divinópolis ainda caminha a passos de tartaruga e praticamente não funciona. Diz ele: “menos de 5% é reciclado”. Muito pouco para uma cidade do tamanho de Divinópolis. Hoje existe um caminhão da Prefeitura que faz a coleta em dezenas de bairros e entrega em um local para que algumas associações de reciclados possam fazer a separação. Existem algumas associações e dezenas de pessoas que fazem esse trabalho “formiguinha”, muitas vezes usando veículos em péssimas condições. Marius apresenta algumas soluções: entende que vereadores devem aprovar o projeto existente na Câmara que propõe setorização dos recicláveis em Divinópolis para que cada associação tome conta de uma região. Para isso, na opinião dele, é importante que a Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Educação, desenvolva uma campanha de esclarecimento dessa prática junto aos representantes das associações de bairros, visando a que a população valorize mais a reciclagem. Outra proposta de Marius é a Secretaria de Educação fazer uma campanha em todas as escolas com informações às crianças e adolescentes para que elas se tornem aliadas na propagação da importância da reciclagem. E de igual importância, Paulo Marius sugere que a Prefeitura coloque nos bairros containers para facilitar o bota-fora do que for descartável e também conscientize os lojistas da cidade e indústrias à prática de valorizar a reciclagem.

Cadê os interceptores?

É preocupante perceber que o tempo passa e a nova data para inauguração do sistema de tratamento de esgoto do rio Itapecerica está chegando e os interceptores nas margens do vários riachos, afluentes do rio, não estão sendo construídos. Sem os interceptores nas suas margens, os riachos, que são esgotos a céu aberto, continuarão a despejar no rio os esgotos domésticos e industriais.

Comentários
×